Raquel Dodge se posiciona contra anulação da condenação de Lula

Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge. (Foto: Divulgação/Agência Brasil)

A procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (21), um parecer contrário ao pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para anular sua condenação no caso do triplex de Guarujá. O pedido diz respeito a atuação do ex-juiz e atual ministro Sérgio Moro, que teve supostas mensagens vazadas aconselhando procuradores da operação Lava Jato via Telegram.

De acordo com a defesa do ex-presidente, Moro não agiu de maneira parcial. Os advogados apresentam as conversas do ministro com o procurador Deltan Dallagnol, alegando completo rompimento da imparcialidade.

Os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia já haviam votado contra o pedido, mas Gilmar Mendes pediu vista — tempo a mais para análise. A retomada do julgamento está marcada para próxima terça-feira (25), e, por esse motivo, Raquel Dodge se pronunciou. A procuradora questionou os usos das mensagens e afirmou que o material publicado “ainda não foi apresentado às autoridades públicas para que sua integridade seja aferida”. Dodge disse ainda que o vazamento de conversas de procuradores e outras autoridades representa um grave e criminoso atentado contra o Estado e suas instituições, que está sob devida apuração pelos órgãos competentes.

A defesa de Lula afirma que o pedido de suspeição feito ao STF não está amparado nos diálogos divulgados, visto que a ação foi protocolada antes das reportagens do site Intercept revelarem as mensagens atribuídas ao ex-juiz e aos procuradores da força-tarefa.

Comentários