Santa Casa promove o I Seminário Nacional dos Hospitais Filantrópicos de Ensino, dias 27 e 28/10

Alfredo Guilherme,  provedor, e Júlio Matos, diretor-geral e de Relações Institucionais da Santa Casa de Misericórdia. Fotos: Banco de Dados/O SUL

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre realiza dias 27 e 28 o I Seminário Nacional dos Hospitais Filantrópicos de Ensino, tendo por palco o Teatro do Centro Histórico-Cultural da instituição. O evento reunirá pela primeira vez 62 hospitais filantrópicos de ensino do Brasil. O objetivo é trocar experiências e aperfeiçoar políticas do setor e o compartilhamento do próprio modelo de gestão da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e de suas práticas de administração, ensino e pesquisa, além das experiências do Hospital Santa Clara, principal unidade de ensino da Santa Casa.

O I Seminário será dividido em dois momentos diferentes. No primeiro dia, a agenda está reservada para uma reunião de trabalho entre as instituições presentes, que dará origem a um documento – a Carta de Porto Alegre – com proposições a serem encaminhadas aos ministérios da Saúde e Educação, através do secretário de Atenção à Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, um dos nomes fortes entre os participantes do Seminário.

No Brasil, o ensino da medicina foi originado nas Santas Casas e ainda hoje essa relação “cumpre um papel fundamental, principalmente na formação para o SUS. Por isso, precisamos fortalecer cada vez mais o setor e buscar, não somente as melhores práticas, mas também uma atenção mais efetiva dos governos”, destaca Júlio Matos, diretor-geral e de Relações Institucionais da Santa Casa de Misericórdia.

Atualmente, mais de 340 residentes atuam na Santa Casa em 63 programas de pós-graduação, de todas as especialidades. A instituição também conta com 26 centros de pesquisa que, anualmente, produzem, em média, cerca de 200 projetos acadêmicos.

A Santa Casa mantém convênios ainda com 6 escolas técnicas, abriga 1.732 estagiários nas áreas médicas/ano e 1.500 estágios em outras áreas. Oferta 63 programas de residência médica com 342 médicos residentes. São 10 cursos de especialização, distribuídos em várias áreas, entre elas oftalmologia, dermatologia, neuro cirurgia e medicina nuclear. Mantém 21 estagiários estrangeiros, sendo 16 da Colômbia, 3 do Equador, 1 da Argentina e 1 do Paraguai. Na área da pesquisa clínica e acadêmica, a instituição conta com 647 pesquisadores distribuídos em centros de excelência e referência para todo o País, em todas as áreas. Cada centro atende em médica cerca de 300 pacientes/ano e o centro pulmonar 400.

Comentários

806 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.