Segunda morte em prédio desabado é confirmada; buscas por sobreviventes seguem nesta quarta


A construção foi feita de forma irregular e não possui registros oficiais do prédio. (Foto: Reprodução redes sociais)

O número de mortos devido ao desabamento do Edifício Andréa, em Fortaleza, na tarde dessa terça-feira (15) aumentou. Até o momento, foram confirmados dois óbitos. As buscas pelos escombros do prédio foram retomadas pelo Corpo de Bombeiros na manhã de hoje (16). Conforme a corporação, nove pessoas seguem desaparecidas e outras nove haviam sido resgatadas com vida ainda na terça-feira.

A expectativa dos bombeiros é terminar o trabalho de buscas no local, que fica no bairro Dionísio Torres, em até três dias. Hoje também foi iniciada a retirada dos entulhos do desabamento com caminhões, utilizados para o transporte dos escombros.

Conforme a prefeitura de Fortaleza, a construção foi feita de forma inadequada e não possui registros oficiais do prédio. O primeiro imóvel, uma casa, foi erguido na década de 1970. Em 1995, foi construído o prédio de sete andares. Atualmente, o edifício passava por reformas. O Conselho Regional de Engenharia do Ceará (Crea-CE) comunicou que não possui nenhum nome de engenheiro responsável pela obra.

Comentários