SENGE-RS fecha 2016 com 1.800 novos associados em sua carteira

Alexandre Wollmann, presidente do SENGE-RS. Fotos: Jackson Ciceri/O SUL
pressenge10
pressenge06
pressenge05
pressenge09

O SENGE-RS (Sindicato dos Engenheiros do RS) chega ao final deste ano exibindo vitórias e realizações que traduzem os passos certeiros que a entidade vem trilhando, com diferenciais e crescimento sustentável. Exemplos não faltam. Um deles, a ampliação da carteira de associados, em permanente crescimento, recebendo sete novos sócios por dia útil, o que deverá representar no final deste exercício cerca de 1.800 novos integrantes no quadro do Sindicato contra 1.218 em 2015.
Os motivos para as novas adesões passam pela confiança, visibilidade e ações concretas que a entidade prioriza, fruto do planejamento estratégico adotado e revisado permanentemente. Alexandre Wollmann, que assumiu a presidência da entidade para o triênio 2014/2017, aponta que o total de novos associados somente nestes três anos deverá chegar a 3.500. No momento, são 14 mil. Com otimismo, ele festeja estes resultados e diz que o planejamento estratégico “é um case a ser estudado” e reitera a satisfação em constatar o crescimento obtido, na contramão do cenário econômico vigente.
Segundo ele, as atividades do SENGE-RS centraram esforços nos últimos tempos em uma presença forte no interior do Estado e nas universidades, com foco em uma maior aproximação da entidade com seu público alvo. “Já temos reconhecimento em Porto Alegre e Região Metropolitana e os números estão repercutindo nossa visilidade, agora estendida ao interior gaúcho”.
A sustentabilidade financeira do SENGE-RS é outro ponto alto da gestão que fechou 2015 com um lucro na ordem de 2 milhões de reais e prevê, para 2016, cerca de 1,5 milhão de reais de resultados, isto porque a entidade investiu em patrimônio, com a aquisição de um terreno na frente de sua sede para a construção de um edifício garagem com 75 vagas, que deverá ficar pronto em 2017, quando também será iniciada a obra de ampliação da atual sede, já projetada anteriormente, com 8.300 metros quadrados e estacionamento para outros 180 automóveis.
A qualificação profissional é outro tripé do Sindicato, que oferece cursos de gestão com complementariedade a fim de suprir demandas de mercado, atendendo ao número expressivo de engenheiros, cada vez mais ocupando cargos de gestão. Além disso, a agenda de eventos do SENGE-RS, que vinha contemplando o debate de dois grandes temas ao ano, em 2016 sai fora da curva e encerra o período com a realização de um quarto evento, voltado a discutir o desenvolvimento sustentável, no próximo dia oito, no Centro de Eventos do Plaza São Rafael, reunindo especialistas do cenário nacional. Em 2016 foram debatidos temas como dívida pública, agricultura e indicadores de saúde financeira do RS.
Alexandre Wollmann volta o olhar ao momento que o País vivencia e diz torcer para que o Governo Federal possa fomentar o desenvolvimento em infraestrutura a fim de combater o atual período de estagnação. “Hoje não existem investimentos, as obras estão paradas”. Ele analisa o encolhimento do Estado e diz que o atual modelo não serve porque são necessários mais investimentos em ganhos de produtividade , infraestrutura , saúde , educação e segurança, em favor do conjunto da sociedade, para um desenvolvimento com equidade e justiça social. “É preciso pensar nas futuras gerações”.

Comentários

Comentários

819 Comentários