Servidores da prefeitura de Porto Alegre decidiram retomar a greve na quarta-feira

Os servidores municipais de Porto Alegre decidiram, em assembleia geral realizada na manhã desta sexta-feira (15), retomar a greve da categoria na quarta-feira (20), em horário a ser definido conforme determinação legal. Além da paralisação, a assembleia teve como pautas centrais o parcelamento dos salários e do 13º e os projetos de lei do Executivo, que, segundo o Simpa (Sindicato dos Municipários de Porto Alegre), retiram direitos da categoria.

Durante a assembleia, também foi decidida a realização de uma vigília na Câmara de Vereadores na segunda-feira (18), ao longo do dia, para pressionar os vereadores a votarem contra o projeto que altera a carreira do funcionalismo. Uma nova assembleia será realizada na quarta-feira à noite.

Com relação ao 13º salário, a assembleia decidiu pressionar o governo para que o pagamento seja feito como prevê a lei, até o dia 20, sem empréstimo, e, no caso de não haver essa possibilidade, que seja garantido empréstimo pela prefeitura, sem restrição bancária ou de idade.

Câmara de Vereadores

Os municipários lotaram as dependências da Câmara de Vereadores, durante a manhã de quinta-feira (14), para tentar barrar o andamento do Projeto de Lei Complementar do Executivo nº 011/17. A mobilização, organizada pelo sindicato da categoria, aconteceu logo após a notícia de que o prefeito Nelson Marchezan Jr. havia encaminhado ofício ao Legislativo pedindo o desarquivamento do projeto.

Para que o projeto possa entrar na pauta de votação com prioridade, sendo votado antes do recesso, é necessária a aprovação dos líderes de bancada na Câmara de Vereadores. Na reunião convocada para isso, realizada na manhã de quinta-feira, os servidores cobraram o compromisso assumido pelos vereadores e o pedido do prefeito foi negado.

No período da tarde, os municipários permaneceram em vigília na Câmara para evitar possíveis manobras do governo, na tentativa de reverter a decisão dos líderes. Vários servidores saíram dos seus plantões noturnos e foram direto para a Câmara, de acordo com o Simpa.

Comentários