Sete estados continuam em disputa e vão definir as eleições nos Estados Unidos

Apuração continua e a disputa está aberta. (Foto: Reprodução)

As eleições presidenciais nos Estados Unidos continuam sem um vencedor definido na tarde desta quarta-feira (04). O democrata Joe Biden conseguiu vitórias cruciais, como no Arizona, e viu uma chance grande de vencer na Geórgia. O republicano Donald Trump, porém, tem a seu favor as conquistas na Flórida, no Texas e em Ohio.

Os estados decisivos devem ser Michigan, Wisconsin e, principalmente, Pensilvânia. Nesses três estados, vencidos por Trump em 2016, o republicano aparece na frente na apuração até agora.

Falta contar, entretanto, uma série de votos enviados pelo correio — e a expectativa é de que essas cédulas, enviadas antecipadamente, favoreçam Biden. Essa contagem pode levar dias até que seja concluída, e a dúvida é se isso será suficiente para o democrata virar o jogo.

Em discurso na Casa Branca, Trump disse que era muito difícil Biden reverter a vantagem nesses estados e disse que iria à Suprema Corte – que tem ampla maioria conservadora – para pedir a interrupção da contagem dos votos. Em outro tom, Biden pediu que todos os votos fossem levados em conta até o fim da apuração.

O democrata tem 238 dos 270 delegados necessários para vencer no Colégio Eleitoral até o momento, contra 213 do republicano. Faltam, então, 32 delegados para Biden vencer – ou 57 para Trump. Os estados que ainda não estão definidos (e a quantidade de delegados de cada um) são:

Pensilvânia: 20 delegados
Michigan: 16 delegados
Geórgia: 16 delegados
Carolina do Norte: 15 delegados
Wisconsin: 10 delegados
Nevada: 6 delegados
Alasca: 3 delegados

No momento, Trump lidera na Pensilvânia, no Michigan, na Carolina do Norte, na Geórgia e no Alasca. Biden está à frente no Wisconsin e em Nevada. Mas, com a contagem dos votos enviados pelo correio, o cenário pode mudar.

Comentários