STF arquiva inquéritos sobre suposto crime eleitoral do presidente do Senado


Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)(Foto: Reprodução/EBC)

Os dois inquéritos em que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), era investigado foram arquivados pela ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF). Alcolumbre era suspeito de crimes eleitorais cometidos durante a campanha de 2014.

Os inquéritos haviam sido abertos em março de 2017 com a autorização da própria Rosa Weber. Isso, após o PMDB do Amapá ter ido ao Ministério Público apontar possíveis irregularidades nas contas de campanha de Alcolumbre. Entre os problemas estariam “a utilização de notas fiscais frias inidôneas para a prestação de contas, ausência de comprovantes bancários, contratação de serviços com data posterior à data das eleições, entre outras”.

O arquivamento foi feito a pedido da procuradora-Geral da República (PGR), Raquel Dodge, para quem a “investigação policial não reuniu, contudo, suporte probatório mínimo de materialidade e de autoria da prática de crime”.


David Alcolumbre nega
O senador negou qualquer irregularidade, destacando que suas contas da campanha de 2014 foram aprovadas pela Justiça Eleitoral e que todos os documentos pertinentes, comprovando a legalidade dos gastos, foram apresentados.

Comentários