“Temos que continuar construindo o futuro do Rio Grande”, diz Sartori no Fórum da Liberdade

“A sociedade brasileira pede por mudanças. Ela se cansou dessa velha maneira de fazer política, desse jeito antigo de administrar o Estado. A nova política não se faz com discurso, se faz com atitude. Não há nada mais velho e ultrapassado do que proferir frases bonitas dissociadas da realidade”, disse o governador José Ivo Sartori na segunda-feira (09), durante discurso na abertura do Fórum da Liberdade 2018, realizado na Pucrs, em Porto Alegre.

Esta edição do evento, promovido pelo IEE (Instituto de Estudos Empresariais), tem como tema “A voz da mudança”. Sartori reforçou a vontade de “continuar construindo o futuro do Rio Grande com responsabilidade, diálogo, pés no chão e falando a verdade”. Segundo o governador, o Rio Grande do Sul foi o primeiro Estado a perceber a crise que acomete a economia, a política e as instituições brasileiras, tomando as primeiras medidas para a recuperação financeira e social do Estado.

“Desde o início do nosso governo, lá em janeiro de 2015, iniciamos o processo de transformação do setor público, plantando as primeiras sementes da mudança, que já começaram a dar frutos. Quebramos paradigmas, mexemos na estrutura do Estado e implantamos um novo modelo de gestão”, afirmou.

Sartori citou também como desafio da continuidade dessa caminhada a necessidade de obter maior sensibilidade social para “ouvir a alma silenciosa da sociedade” em detrimento do que citou como “ímpetos da elite”.

“Que nossos ouvidos não ouçam apenas quem grita mais alto ou quem tem um microfone mais potente. Quem sabe, vamos ouvir mais o colono, o operário, o empreendedor, o jovem, o pai e a mãe de família. Se tivermos esta abertura e este desprendimento, com certeza a realidade será outra”, ponderou. Após a abertura do fórum, foi realizado um painel com presidenciáveis.

Fórum da Liberdade

O evento, que está em sua 31ª edição, é promovido desde 1988 pelo IEE. Em 2013, foi reconhecido pela revista norte-americana Forbes como o maior espaço de debate político, econômico e social da América Latina.

Anualmente, o Fórum da Liberdade reúne um público médio de 5 mil pessoas e mais de 200 mil acessos na plataforma on-line. O fórum conta com a participação de uma ampla gama de palestrantes de renome nacional e internacional. A programação da edição deste ano do evento pode ser conferida aqui.

Para o presidente do IEE, Julio César Bratz Lamb, o evento se consagra cumprindo seu dever histórico e missão de disseminar conhecimento a favor da liberdade do ser. “Não há liberdade maior ao cidadão do que ser senhor de si, orgulhando-se de seus feitos e capacidades em sociedade. É nosso dever lutar pelos três pilares da liberdade: a política, a econômica e a social”, disse.

Comentários