Trânsito gaúcho registra, no primeiro semestre, o menor número de mortes desde 2007

Foram registradas 696 mortes em acidentes de trânsito de janeiro a junho no Estado. (Foto: O Sul)

Com menor circulação de pessoas e veículos nas ruas devido à pandemia do novo coronavírus, o Rio Grande do Sul registrou, no primeiro semestre deste ano, o menor número de mortes no trânsito desde 2007, quando o Detran-RS adotou a metodologia atual de acompanhamento dos feridos em até 30 dias depois dos acidentes.

Foram registradas 696 mortes em acidentes de trânsito de janeiro a junho de 2020, número 14% menor do que o verificado nos primeiros seis meses do ano passado. A redução semestral é a maior desde 2016, quando as mortes haviam caído 15% em relação ao mesmo semestre do ano anterior. O balanço foi divulgado na quinta-feira (13).

Comparando-se ao primeiro semestre de 2019, verificou-se a redução da acidentalidade em todos os tipos de usuários (motoristas, pedestres, ciclistas etc.), exceto entre os motociclistas. Apesar da pandemia, o número de condutores de duas rodas mortos no semestre foi exatamente o mesmo do ano passado: 200 vidas perdidas.

Segundo o diretor-geral do Detran-RS, Enio Bacci, há uma preocupação com os motociclistas, pois muitos deles seguiram trabalhando durante o período de isolamento social com o aumento da demanda por entregas. “Eles merecem uma atenção especial do Estado, assim como os profissionais da saúde, já que estão mais expostos, não somente ao vírus, mas também às ocorrências de trânsito, como nos mostram as estatísticas”, avaliou.

Alguns municípios destacam-se na redução da acidentalidade. Analisando-se os que registraram mais de 20 mortes na soma dos primeiros semestres de 2019 e 2020, Caxias do Sul, Pelotas e Gravataí tiveram as maiores reduções: 68%, 61% e 50%, respectivamente, representando 58 vidas preservadas no semestre somente nessas três cidades.

O registro de acidentes com mortes também teve uma queda histórica. Foram 638 ocorrências que resultaram em um ou mais óbitos no semestre. O número é o mais baixo da série histórica e 14% menor do que o verificado no mesmo período do ano anterior, quando foram registrados 740 acidentes com mortes nas ruas e rodovias gaúchas.

Comentários