Três dias após a cassação de Eduardo Cunha, Temer recebe líderes do chamado Centrão

Em busca da manutenção dos votos dos partidos que davam sustentação a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no comando da Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer recebe, na tarde desta quinta-feira (15), no Palácio do Planalto, os líderes do chamado Centrão, bloco que reúne legendas de centro-direita da Casa legislativa. O grupo é formado por PP, PR, PSD, PTB, PROS, PSC, SD, PRB, PEN, PTN, PHS e PSL.

O encontro ocorre apenas três dias depois de Cunha perder o mandato em uma votação que contou com o apoio, inclusive, de integrantes do próprio grupo partidário idealizado pelo peemedebista. Temer pretende assegurar os votos do Centrão mesmo após a cassação do principal líder do bloco.

O vácuo de liderança no Centrão tem gerado disputas internas entre os integrantes do grupo, que já estão de olho na eleição para a presidência da Câmara, em fevereiro de 2018. Os deputados Jovair Arantes (PTB-GO) e Rogério Rosso (PSD-DF) são alguns dos nomes do bloco cotados nos bastidores para tentar disputar a sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Casa.

O Planalto está preocupado que a disputa de poder pelo espólio político de Cunha possa gerar um racha na base aliada. Ex-presidente da Câmara e profundo conhecedor dos meandros políticos da Casa, Temer decidiu conversar imediatamente com expoentes do Centrão para acalmar os ânimos e se certificar que o bloco vai continuar dando votos ao governo.

Comentários