Três ministros depõem à Polícia Federal na terça. Ramagem e delegados serão ouvidos na segunda

A PF (Polícia Federal) programou para segunda-feira (11), na sede do órgão, em Brasília (DF), o depoimento do delegado Alexandre Ramagem, que teve a nomeação para diretor-geral da instituição suspensa por determinação do STF (Supremo Tribunal Federal)

Ele será ouvido no inquérito que apura suposta tentativa de interferência do presidente Jair Bolsonaro em investigações da PF, acusação feita pelo ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro.

No mesmo inquérito, serão ouvidos na terça-feira (12), às 15h, no Palácio do Planalto, os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Delegados

O depoimento de Ramagem será colhido às 15h por um delegado do Sinq (Serviço de Inquéritos Especiais), grupo da PF responsável por inquéritos em curso no STF.

Outros dois delegados devem ser ouvidos na segunda: o ex-diretor-geral, Mauricio Valeixo, às 10h, em Curitiba (PR); e o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio, Ricardo Saadi, às 15h, em Brasília. A PF começou na tarde desta sexta (8) a informar os advogados sobre a data.

O objetivo do depoimento de Ramagem é esclarecer os laços dele com a família Bolsonaro e as circunstâncias da indicação para comandar a Polícia Federal.

O ex-diretor-geral Mauricio Valeixo será ouvido por ter sido demitido por Bolsonaro, que indicou Ramagem para substituí-lo, mas não conseguiu emplacar a nomeação, barrada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, ao analisar uma ação movida pelo PDT.

O ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro Ricardo Saadi deixou o posto após críticas de Bolsonaro à atuação dele, contestadas em nota oficial pela Polícia Federal.

Para a próxima terça, a Polícia Federal também prevê os depoimentos dos delegados Carlos Henrique de Oliveira Souza, Alexandre da Silva Saraiva, Rodrigo de Melo Teixeira e da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Souza, Saraiva e Zambelli serão ouvidos na sede da PF, em Brasília, às 15h. O depoimento de Teixeira está marcado para as 15h, mas em local ainda a ser definido.

Renomeação

Nesta sexta, a Advocacia-Geral da União pediu ao STF que reconsidere a decisão liminar (provisória) que suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para ocupar o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

O governo pediu que a Corte libere a validação do ato de nomeação de Ramagem, amigo da família do presidente Jair Bolsonaro.

Depois da suspensão de Ramagem, Bolsonaro nomeou o delegado Rolando Alexandre de Souza para o comando da Polícia Federal. Souza era subordinado de Ramagem na Abin (Agência Brasileira de Inteligência).

Rolando de Souza esteve no Palácio do Planalto nesta sexta para participar de reunião com o presidente e com o ministro da Justiça, André Mendonça.

A assessoria da PF informou que eles trataram dos trâmites para nomeações de superintendentes regionais do órgão.

Comentários