Um homem morreu em um incêndio em uma pensão em Porto Alegre

Um homem morreu em um incêndio em uma pensão localizada na rua Comendador Coruja, no bairro Floresta, em Porto Alegre, na noite de quinta-feira (06). As chamas começaram por volta das 21h, de acordo com o Corpo de Bombeiros.

A vítima foi encontrada sem vida em uma cama no segundo andar do prédio. O corpo não apresentava queimaduras. As causas das chamas estão sendo investigadas. Um problema na rede elétrica da pensão pode ter provocado o fogo, conforme os bombeiros.

Outro incêndio

Na madrugada do dia 29 de novembro, quatro pessoas – três homens e uma mulher – morreram durante um incêndio em um prédio onde funcionava uma pensão na esquina das ruas Garibaldi e Voluntários da Pátria, perto da rodoviária de Porto Alegre, no Centro da Capital.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta das 3h no prédio de dois andares. As chamas, que destruíram a parte superior do imóvel, foram controladas em cerca de uma hora. Os corpos das vítimas foram achados carbonizados no prédio, que é antigo e tinha condições precárias, conforme testemunhas.

Novos bombeiros

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, autorizou, no mês passado, a nomeação de 150 bombeiros, 400 agentes da Polícia Civil e 150 agentes da Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenciários).

Segundo o governo gaúcho, “mesmo diante das dificuldades financeiras que o Estado enfrenta e em meio ao período de transição para o próximo governo, Sartori garantiu a validação e prosseguimento das ações em sua gestão”. “Apesar das dificuldades financeiras, não podemos paralisar os serviços públicos. E o concurso continua válido para as demais nomeações que poderão ser feitas futuramente”, afirmou o chefe do Executivo.

Sartori enfatizou que, buscando honrar os compromissos firmados para priorizar a segurança, o governo realizou um dos maiores concursos da história gaúcha no setor. “Também cumprimos os aumentos salariais aos servidores durante os quatro anos. E agora, gradativamente e com responsabilidade, estamos chamando os concursados”, acrescentou.

Reiterando que as ações do governo prosseguem, Sartori reforçou que todas as atitudes tomadas serão de responsabilidade até o último dia do mandato, com absoluta transparência e sem qualquer prejuízo ao futuro governo. “Aproveito para reforçar que continuamos fazendo o máximo esforço para o equilíbrio financeiro do Estado. Diminuímos o rombo de R$ 25 bilhões para R$ 8 bilhões. Nossas prioridades são o pagamento do funcionalismo e os repasses para saúde, segurança e educação. Ainda há um longo caminho pela frente, mas o dever de casa está sendo feito”, concluiu o emedebista, que não conseguiu se reeleger.

Comentários