Um livro lançado pelo governador gaúcho resgata a origem e documenta a história dos 497 municípios gaúchos

Você consegue imaginar o Rio Grande do Sul com apenas quatro municípios? Pois esta era a realidade do Estado em 1809, data da primeira divisão administrativa. Existiam apenas Rio Pardo, Rio Grande, Santo Antônio da Patrulha e Porto Alegre. De lá pra cá, surgiram 493 cidades. A partir de agora, quem quiser pode conhecer a origem e algumas curiosidades de tantos locais. Está tudo no livro Genealogia dos Municípios do Rio Grande do Sul 1809-2018, que foi lançado nesta segunda-feira (2) pelo governador José Ivo Sartori, no Palácio Piratini, em Porto Alegre.

O trabalho começou em 2015 com muita pesquisa. Técnicos do Departamento de Planejamento da SPGG (Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão) foram atrás de materiais históricos para explicar como chegamos aos atuais 497 municípios. São 59 páginas com conteúdo didático e linguagem acessível para todos os públicos. Além de ilustrações e mapas históricos, o livro traz um diagrama para consultar a data de origem e a árvore genealógica de cada cidade.

Sartori destacou a importância de documentar a história. “Aquilo que não é conhecido não é lembrado. A história é fundamental para todas as gerações. Ainda mais no RS, que só perde pra São Paulo e Minas Gerais em número de municípios. Muitos tiveram que lutar para virar município. E eu digo que isso é patriotismo: gostar do local onde a gente mora e batalhar por ele. Este livro materializa o orgulho dos nossos antepassados.”

A primeira edição tem uma tiragem de cinco mil exemplares, que serão distribuídos, de forma gratuita, para prefeituras, escolas públicas e universidades. O secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Carlos Búrigo, afirmou que o trabalho reflete uma necessidade de concentrar as informações em um documento só.

“Uma das missões da secretaria é cuidar dos municípios, e isso inclui cuidar da história deles. Com o passar dos anos, as pessoas vão esquecendo suas origens, então é importantíssimo fazer esse registro. O Estado tinha essas informações, mas espalhadas. Então, unificamos tudo isso e fizemos um documento de estudo. Só o Estado de São Paulo tem um material assim, o que nos orgulha.”

O governador entregou o primeiro exemplar para o prefeito de Pinto Bandeira, último município a se emancipar definitivamente, em 2013. “Pinto Bandeira tem muito orgulho de estar aqui como o município mais novo. Saímos de Bento Gonçalves e somos cerca de três mil habitantes com muita força. A união é o nosso lema lá”, disse o prefeito Hadair Ferrari.

Comentários