Uma exposição traz imagens de Porto Alegre no período da enchente de 1941, que desabrigou quase 70 mil pessoas (um quarto da população da época)

“Um abril para nunca esquecer”. Este é o tema central da exposição do projeto “Mês a Mês na História”. A promoção é do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, instituição vinculada à Sedactel (Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer). A mostra acontece de quarta-feira (4) à 29 de abril, no segundo andar do Memorial do Rio Grande do Sul, na Sala Múltiplos Usos. A entrada é franca.

A exposição traz imagens de Porto Alegre no período da enchente de 1941, que desabrigou quase 70 mil pessoas (um quarto da população da época). Também expõe decretos do interventor federal Cordeiro de Farias com medidas de proteção e socorro às vítimas diante da situação de calamidade pública.

Entre 1863 e 1864, os crimes da Rua Arvoredo assombraram a provinciana capital do Rio Grande do Sul. O episódio gerou muitas reapropriações e reescrituras ao longo dos anos. A mostra traz parte dos Autos do Processo, cujos réus são José Ramos e Carlos Rathmann. E também o Livro do Rol de Culpados do Cartório do Juizado de Execuções Criminais de Porto Alegre, com a condenação de Catharina Palse e de José Ramos – preso em 19 de abril de 1864. Eles foram considerados responsáveis pela morte de nove vítimas, com o auxílio do açougueiro alemão Carlos Gottlieb Claussner, que mais tarde se tornaria mais uma das vítimas desse crime.

Mês a Mês na História

O projeto valoriza e incentiva a leitura de fontes primárias com a exposição de documentos originais do acervo do AHRS (Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul) relacionados a contextos e assuntos importantes, com conteúdos de interesse da comunidade, que revelam um conhecimento inestimável sobre a história do RS e do Brasil. O desconhecimento desse material, mesmo entre o público erudito, torna esse acervo invisível e incapaz de cumprir sua utilidade como vestígios materiais da existência dos homens em vários tempos e lugares.

Serviço

O quê: “Mês a Mês na História – Um abril para nunca esquecer”
Quando: De 4 a 29 de abril; de terça-feira a sábado, das 10h às 18h; domingo e feriado, das 13h às 17h
Onde: Memorial do Rio Grande do Sul – Sala Múltiplos Usos (Praça da Alfândega, Centro Histórico de Porto Alegre)

Museu Antropológico faz 40 anos

O Mars (Museu Antropológico do Rio Grande do Sul), sediado no Memorial do Rio Grande do Sul, destaca quatro décadas de existência com a mostra “Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (1978-2018): 40 anos pesquisando a diversidade étnica”. O evento apresenta peças representativas do acervo etnográfico e arqueológico da instituição. A mostra começa na quarta-feira (4) e vai até 6 de maio, na Sala do Tesouro, com entrada franca.

O público pode conferir materiais com as seguintes temáticas: etnologia indígena (Kaingang e Guarani), indumentária litúrgica da igreja católica, religiosidade afro-brasileira, peças representativas das tradições arqueológicas do Estado, além de maquetes de arquitetura colonial açoriana, alemã e italiana.

A exposição traz também um breve histórico das ações desenvolvidas ao longo da trajetória da instituição, entre 1978 e 2018, como trabalhos de campo em arqueologia, exposições, seminários, atividades de extensão e publicações diversas.

O evento pretende restabelecer parcerias com instituições de memória para fortalecer a integrar o Mars no circuito cultural do Centro Histórico de Porto Alegre. A realização é da equipe do Museu Antropológico e conta com apoio do Memorial do RS, do AHRS (Arquivo Histórico do RS) e da Assomars (Associação dos Amigos do Museu Antropológico do Rio Grande do Sul).

Serviço

O quê: “Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (1978-2018): 40 anos pesquisando a diversidade étnica”
Quando: De 4 de abril a 6 de maio; de terça-feira a sábado, das 10h às 18h; domingos e feriados, das 13h às 17h
Onde: Memorial do Rio Grande do Sul, na Sala do Tesouro (Praça da Alfândega, Centro Histórico de Porto Alegre)
O quê: Museu Antropológico do Rio Grande do Sul (1978-2018): 40 anos pesquisando a diversidade étnica
Quando: De 4 de abril a 6 de maio; de terça-feira a sábado, das 10h às 18h; domingos e feriados, das 13h às 17h
Onde: Memorial do Rio Grande do Sul, na Sala do Tesouro (Praça da Alfândega, Centro Histórico de Porto Alegre)

Comentários