Uma investigação apontou um prejuízo de mais de 2 milhões de reais à prefeitura de Porto Alegre em obras no Arroio Dilúvio

Agentes da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária deflagraram, na manhã desta terça-feira (19), a Operação Armatura com o objetivo de combater crimes contra a administração pública em Porto Alegre.

Segundo os delegados André Lobo Anicet e Max Otto Ritter, a ação visou identificar os responsáveis pela empresa que executou a reconstrução dos taludes do arroio Dilúvio, na Capital. As obras foram superfaturadas em mais de R$ 2 milhões, de acordo com a polícia.

“Conforme o que foi apurado durante as investigações, juntamente com servidores públicos municipais, à época lotados no Departamento de Esgotos Pluviais, do Executivo Municipal de Porto Alegre, houve dano ao erário em valor nominal de aproximadamente R$ 2,1 milhões, especialmente em decorrência da execução de serviços em desacordo com o projeto básico original”, relataram os delegados.

Foram cumpridos dois mandados judiciais na Capital e em Cachoeirinha, na Região Metropolitana. Diversos documentos ligados às práticas criminosas investigadas foram apreendidos. Os investigados foram conduzidos à delegacia para prestar esclarecimentos.

Comentários

2 Comentários