Uma perseguição policial pelas ruas de Canoas terminou com a prisão de quadrilha especializada no roubo de veículos

A Polícia Civil capturou em Canoas quatro indivíduos suspeitos de integrar grupo responsável por roubos de veículos em municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre. Os investigadores já haviam identificado alguns integrantes do bando e ao se aproximarem da casa de um dos indivíduos, na madrugada desta sexta-feira (25), encontraram resistência por parte dos criminosos.

Uma equipe da Draco (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado) do município deparou com quatro assaltantes em uma rua do bairro Mathias Velho. Eles tripulavam um automóvel Chevrolet Onix e ao perceberem viaturas da corporação e da BM (Brigada Militar), fugiram em alta velocidade.

Com apoio de soldados do 15º BPM (Batalhão de Policia Militar) e até mesmo de um helicóptero, a Polícia Civil passou a perseguir a quadrilha por uma série de quadras do bairro Mathias Velho. Em meio à confusão, os criminosos abriram uma das portas do carro e se desfizeram de pelo menos duas pistolas, mas o carro teve os pneus atingidos por tiros dos agentes e acabou encurralado.

Finalmente rendidos, os homens portavam munição para armas de dois diferentes calibres e carregadores de pistola, além de rádios sintonizados na frequência da BM, quatro telefones celulares, dinheiro e documentos diversos, dentre outros itens. As armas lançadas para fora do automóvel ainda não foram encontradas.

Vale do Sinos

Nesta semana, órgãos encarregados da segurança pública no Rio Grande do Sul deflagraram uma operação integrada na região do Vale do Sinos. A ofensiva teve como alvo as cidades de Novo Hamburgo, São Leopoldo, Campo Bom e Estância Velha, priorizando a fiscalização de apenados do regime semiaberto que cumprem prisão domiciliar ou podem exercer trabalho externo durante o dia.

Também foram cumpridos vários mandados de busca e apreensões, bem como realizadas barreiras fixas para coibir a prática de crimes como furto e roubo de veículo, assalto a pedestres. Segundo a Brigada Militar, a iniciativa tem por base os indicadores criminais de maior relevância em cada município e se destina ao aumento da sensação de segurança na comunidade.

Ao menos 120 pessoas foram abordadas e 11 acabaram presas no âmbito do cumprimento de ordem judiciais. Algumas deles estavam foragidas da Justiça ou do sistema carcerário. No que se refere aos chamados “reeducandos” do regime semiaberto, foram visitados 79 endereços, nos quais 38 apenados não foram encontrados.

(Marcello Campos)

Comentários