Uruguai anuncia saída do Tratado Interamericano dentro de dois anos; entenda


Para o ministro das relações exteriores uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, o tratado era pra ser um acordo de conciliação pacífica.(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O ministro das relações exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, anunciou a saída do país do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (Tiar) dentro de dois anos. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa em Montevidéu, capital do país vizinho.

O motivo é a ativação do mecanismo que permite ruptura das relações diplomáticas com a Venezuela e possível intervenção militar no país. O Uruguai foi a única federação, entre os 19 membros do Tiar, a votar contra a norma. De acordo com Rodolfo, a finalidade inicial do tratado era assegurar a paz, prover ajuda efetiva frente aos ataques armados e também enfrentar ameaça de agressão contra países da região. Para ele, a ativação do Tratado representa uma grave violação em matéria de direito internacional no que se refere ao princípio de resoluções pacíficas.

Nesta segunda-feira (23), o ministro já havia anunciado que poderia sair do Tratado caso isso acontecesse. O Brasil votou a favor da resolução, junto com Argentina, Bahamas, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, Estados Unidos, e Venezuela. Vale lembrar que a Venezuela voltou a fazer parte do tratado quando a Assembleia Nacional liderada por Juan Guaidó aprovou o retorno do país ao pacto.

Comentários