Vacinação de profissionais de saúde prossegue nesta semana com alterações em Porto Alegre

As 20 farmácias parceiras da prefeitura manterão a oferta de vacinação para profissionais da saúde que não atuam na linha de frente ao combate da pandemia, desta segunda-feira (29), a quinta-feira, 1º de abril, das 9h às 17h.

Em reunião virtual com representação da Vigilância em Saúde municipal, representante das farmácias parceiras e dos Conselhos de Classes, duas decisões foram deliberadas: a não exigência mais, a partir de segunda-feira, da declaração de pacientes atendidos em domicílio, e a responsabilidade dos conselhos em apontar para a Secretaria Municipal de Saúde quais os setores de atuação das categorias de atendimento à saúde humana, para definição de uma lista oficial dos serviços autorizados para vacinação. Desta forma, profissionais cadastrados e ativos no Conselho que atuem nesses locais poderão receber a dose do imunobiológico.

Com a deliberação, a partir desta segunda, todos os profissionais que buscarem a vacinação deverão apresentar, obrigatoriamente, autodeclaração de profissional de saúde, comprovante de residência ou atuação em Porto Alegre e vínculo com conselho setorial. Os documentos deverão ser entregues em cópia impressa.

Estão contemplados: profissionais e seus respectivos técnicos e auxiliares com inscrição comprovada em conselhos de classe que atuam em atendimento à saúde humana em estabelecimentos como hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, farmácias, consultórios, ou de forma autônoma, mas atendendo presencialmente o paciente.

São 14 categorias: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, serviços socais, profissionais de educação física (que trabalham com assistência a saúde como em hospitais, clínicas de reabilitação, centros de atendimento à saúde de pessoas com deficiências e serviços de saúde mental), médicos veterinários que atuam em serviços de proteção à saúde humana.

“A Secretaria Municipal de Saúde estabeleceu uma estratégia de operacionalização da campanha entre esses profissionais levando em consideração regramento federal, estadual e o plano de vacinação municipal, sempre discutido com os Conselhos de Classes e Ministério Público, considerando o quantitativo de vacinas disponível para este público-alvo”, destaca o diretor da Vigilância em Saúde municipal, Fernando Ritter.

“Todos devem ter o direito a ser vacinados, mas, nesse momento, alguns são mais prioritários do que outros, pela exposição ao risco e contaminação, pela incidência de infecção e de internação hospitalar entre profissionais de saúde.”

Não estão contemplados neste momento:

– Profissionais de apoio que atuem em estabelecimentos de saúde (aqueles profissionais que não possuem inscrição ativa em conselho de classe, como atendentes, recepcionistas, profissional de limpeza, segurança, gerentes, sócios-proprietários, etc)

– Estagiários de qualquer profissão de saúde, profissionais que atuam em práticas interativas e complementares ou outras atividades e que não possuam registro ativo em um dos conselhos de saúde da Resolução do Conselho Nacional de Saúde 287/98.

Comentários