Vítima de falso sequestro, agricultor é encontrado dormindo em um casebre e é indiciado por estelionato em Santa Cruz do Sul

O homem foi localizado em um casebre no interior do município de General Câmara.(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Na expectativa de quitar dívidas com o seguro do carro, um agricultor de 57 anos inventou que foi sequestrado em Santa Cruz do Sul. A farsa foi descoberta pela polícia, e a falsa vítima será indiciada por estelionato.

Policiais da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas de Santa Cruz do Sul (DEFREC) desvendaram a históra nesta sexta-feira (23). O homem foi localizado em um casebre no interior do município de General Câmara.

Na quarta-feira (21), ele informou a mulher por telefone que havia sido sequestrado. Preocupada, a família, que vive no interior de Santa Cruz do Sul, procurou a Polícia Civil e registrou o caso. Naquela noite, por volta das 22h, o carro dele foi localizado em chamas, em General Câmara.

Familiares  e policiais passaram a fazer buscas no município.

Segundo a polícia, ele não pode ser indiciado por falsa comunicação de ocorrência porque o registro foi feito pela família, que não sabia da farsa.

Inicialmente os policiais acreditavam que o local poderia ser um cativeiro. No entanto, descobriram que o agricultor forjou a história para conseguir dar um golpe na seguradora de seu carro. O veículo foi encontrado incendiado na noite de quarta-feira.

“O que era para ser um sequestro virou uma grande farsa”, afirmou Luciano Menezes, titular da DEFREC. Os policiais intensificaram as buscas em General Câmara e localizaram nas margens do Rio Jacuí, embaixo da ponte que faz divisa com São Jerônimo, o casebre onde estava o agricultor desaparecido. O homem estava dormindo. “Acreditávamos que ele poderia até estar morto”, disse o delegado.

O indivíduo tentou sustentar a versão de que havia sido sequestrado, mas acabou confessando aos policiais que havia forjado a história.

Segundo Menezes, o agricultor levou os investigadores até o local onde havia escondido as rodas do veículo, em uma propriedade abandonada.

Ele também indicou o ponto em um matagal onde escondeu os bancos do carro. “Com o seguro do veículo, ele pretendia quitar metade das dívidas.” Depois de incendiar o carro, escondeu-se no casebre, onde permaneceu por dois dias. O homem será indiciado por estelionato contra a seguradora.

Comentários

Comentários

10 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.