Segunda-feira, 04 de Julho de 2022

Home Colunistas A transformação dos autônomos e liberais

Compartilhe esta notícia:

Muitos de nós já sofreram de um mal que acomete a maior parte dos profissionais liberais e autônomos: Conclui a faculdade, monta sua “empresa”, senta na sua sala e espera os clientes bater na porta… e eles não batem!!

Por muito tempo, os profissionais liberais e autônomos, na sua grande maioria prestadores de serviços, se enxergaram como uma peça da engrenagem econômica que não precisava (no caso dos liberais, em várias profissões, “não podia” seria a expressão correta) se enquadrar nas demais regras do comércio, vivendo em uma cápsula que impedia a adoção integral dos conceitos de oferta e procura e de prospecção, captação e fidelização de clientes. Essa impossibilidade, imposta psicologicamente, criava barreira para o crescimento dos pequenos profissionais, mantendo a hegemonia dos maiores.

Com as drásticas mudanças dos últimos anos e com a evolução da informação, não só passou a ficar claro que não basta ser um “entregador” de serviços, mas também é preciso ser um vendedor deles, como também foi possível enxergar que, com uma entrega além do esperado pelo comprador, o resultado em termos financeiros, de fidelização e marketing de indicação aumenta exponencialmente!

O fornecedor de serviços pode se valer de muitas das táticas do comércio de produtos para se tornar único, aumentar sua percepção de valor frente ao consumidor e, com isso, se destacar da multidão e ser notado, além de encontrar uma vantagem competitiva enorme no momento: como essa mudança de paradigma é ainda recente e tímida, muitos profissionais não se atentaram para ela e, com isso, basta começar a adotar um posicionamento diferente que já estará fazendo muito mais que a maioria!

Exemplo? A ascensão astronômica dos aplicativos de transporte se deu pela mudança da forma de tratar o cliente: carro limpo, serviço cordial, alguns extras (quem não lembra da água e da balinha no início da operação da Uber no Brasil?). Desconsidere os bilhões investidos (que permitiram alavancar o resultado em velocidade), apenas a manutenção de um serviço diferenciado já geraria a preferência dos consumidores e, ainda que demorasse mais para espalhar a informação, ela se espalharia!

Cabe a cada profissional, que queira se destacar na sua função e região, aproveitar a pausa que cada um de nós faz no final do ano para planejar o próximo, buscar enxergar o que é “a água e a balinha” do seu negócio, para melhorar sua entrega e mudar não só a satisfação do cliente como sua própria realidade econômica em 2022.

– Ah, mas e cadê as dicas de legislação, o que pode e o que não pode, regras trabalhistas, como monto meu contrato de prestação de serviços para reduzir riscos do meu negócio? Não vais falar? Bom, com certeza tem algum profissional que tu conheces, se destacando por aí usando essas dicas ali de cima, para que tu possas consultar sobre isso e garantir que, na parte jurídica do teu negócio, tu também sejas sucesso!

Tiago Bertote (@tiagobertoteadv), membro da Divisão Jovem da Federasul, Presidente da Associação de Jovens Empresários de Capão da Canoa e Xangri-lá (ajecapaoxangrila), advogado trabalhista empresarial no Bertote & Associados (@bertoteeassociados) e empresário (@exotica_loja).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Embate
Forças Armadas entregaram ao TSE questionário sobre fragilidades do processo eleitoral eletrônico
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde