Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2022

Home Você viu? Ano-novo na pandemia: festa na Time Square, em Nova York, poderá ter no máximo 15 mil pessoas

Compartilhe esta notícia:

A celebração de Ano-Novo na Times Square, em Nova York, nos Estados Unidos, será mantida, mas não com tantas pessoas como de costume por causa da Covid, anunciou o prefeito Bill de Blasio.

As áreas de observação que normalmente acomodam cerca de 58 mil pessoas serão limitadas a cerca de 15 mil para permitir um maior distanciamento, e todos os presentes devem apresentar comprovantes de vacinação e usar máscaras.

As mudanças foram feitas enquanto a cidade luta contra um aumento nos casos de coronavírus, alimentados pela rápida disseminação da variante ômicron. Na terça-feira, a cidade bateu o recorde de um dia com 17.200 novos casos.

Nos EUA, avalia-se que o número de casos pode ser ainda maior, já que o registro de novas infecções não incluiu um grande número de trabalhadores, que estão de férias, e a testagem diminuiu sensivelmente por causa das festas de fim de ano.

Além disso, os recordes de casos também estão sendo registrados em cidades onde as taxas de vacinação são relativamente altas, como Nova York, Washington, Seattle, São Francisco, Boston, Atlanta e Detroit. Para especialistas, há duas razões para os números elevados nas áreas urbanas: densidade populacional e mais testes.

O aumento levou ao cancelamento de shows, eventos esportivos e shows da Broadway, mas de Blasio mostrou uma forte preferência para que o lançamento anual da bola na Times Square ocorresse conforme planejado.

Há pouco mais de um mês, o prefeito anunciou alegremente que uma multidão totalmente vacinada de centenas de milhares de pessoas voltaria para a comemoração icônica, depois que ela foi limitada no ano passado a pequenos grupos de trabalhadores essenciais. Mas isso foi antes de a ômicron explodir.

De Blasio disse que a cidade está monitorando a situação e anunciará cuidados adicionais se necessário. Entre as outras mudanças anunciadas, o público não terá permissão para acessar o local antes das 15 horas, muito mais tarde do que nos anos anteriores.

Na véspera de Ano-Novo do ano passado, a Times Square estava quase vazia, com Jennifer Lopez e outros artistas se apresentando atrás das barricadas da polícia para pequenos grupos compostos de trabalhadores essenciais.

Depois que as vacinas se tornaram amplamente disponíveis nos Estados Unidos, a cidade permitiu que as multidões voltassem às celebrações com fogos de artifício do Quatro de Julho e ao Desfile de Ação de Graças da Macy’s, entre outros eventos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Você viu?

Nostradamus fez profecias sombrias para 2022: confira as sete principais
Vai viajar a partir de 1º de janeiro? Fique atento, as regras não serão mais as da pandemia
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa