Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Últimas Após Lula cobrar mais articulação política de Fernando Haddad, ministro responde: “Só faço isso da vida”

Compartilhe esta notícia:

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, questionado por jornalistas nesta segunda-feira (22) sobre as cobranças do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que tem que se engajar mais na articulação política, respondeu com uma frase: “Só faço isso da vida”, em seguida sorriu, entrou no carro e deixou o ministério.

Lula não está satisfeito com a popularidade do governo, que vem caindo, e passou a fazer cobranças públicas de seus ministros. Além disso, a articulação política vive uma crise com o Congresso, acirrada pelas críticas do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ao ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

No evento no Palácio do Planalto, Lula afirmou que ministros precisam se envolver mais. E disse para Haddad ler menos livros e se dedicar à política.

O presidente também se referiu ao vice-presidente e ministro do Desenvolvimento e Indústria, Geraldo Alckmin, ao ministro da Casa Civil, Rui Costa e ao ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias.

“O Alckmin tem que ser mais ágil, tem que conversar mais. O Haddad tem que, em vez de ler um livro, perder algumas horas conversando no Senado e na Câmara. O Wellington, o Rui Costa, passar maior parte do tempo conversando com bancada A, com bancada B”, disse Lula.

Próximos passos

Os ministros já esquadrinharam quais serão os próximos passos que vão tomar para atender o pedido do presidente.

Após o evento com Lula, Haddad almoçou com Padilha e com os líderes do governo no Legislativo – Jaques Wagner (Senado), José Guimarães (Câmara) e Randolfe Rodrigues (Congresso). Além disso, incluiu na agenda uma reunião com Lula e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, para discutir o envio, ao Congresso, dos projetos que regulamentam trechos da reforma tributária.

O ministro Wellington Dias disse estar “à disposição” para se reunir e dialogar com parlamentares a fim de esclarecer todos os pontos da MP do Acredita. Na avaliação do ministro, o conteúdo da medida provisória está em “sintonia” com a maioria dos parlamentares.

O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, já tem dialogado com parlamentares sobre propostas voltadas ao setor industrial e deve intensificar conversas em busca da aprovação do Mover, projeto que prevê incentivos à produção de veículos sustentáveis.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Últimas

Porto Alegre sedia pela primeira vez o Congresso Brasileiro de Guias de Turismo
Avanço da dengue leva a prefeitura de Porto Alegre a decretar situação de emergência em saúde
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada