Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2024

Home Variedades Ator Kevin Spacey vai a tribunal no Reino Unido por novas acusações de crimes sexuais

Compartilhe esta notícia:

Seis meses depois de negar “enfaticamente” as acusações de agressão sexual contra três homens no Reino Unido, o ator americano Kevin Spacey volta à justiça britânica nesta sexta-feira (16) para enfrentar novas denúncias do tipo que atormentam sua carreira desde 2017.

A vencedora de dois Oscars, por “Beleza Americana” (1999) e “Os Suspeitos” (1995), desta vez deve comparecer por videoconferência a partir das 14h (horário de Brasília) perante um juiz do Tribunal de Magistrados de Westminster, em Londres.

A estrela de Hollywood, de 63 anos, foi indiciada no mês passado por promotores britânicos por sete novas agressões sexuais entre 2001 e 2004 contra um homem a quem ele forçou, entre outras coisas, “a participar de uma relação sexual não consensual”.

Essas acusações se somam ao sua já pesado ficha perante os tribunais ingleses, que o acusaram em maio de cinco agressões sexuais a três homens entre 2005 e 2013, quando era diretor do prestigioso teatro Old Vic, em Londres.

“O Sr. Spacey nega veementemente qualquer criminalidade neste caso”, disse seu advogado, Patrick Gibbs, em junho, durante uma audiência preliminar na qual o ator apareceu voluntariamente para “defender sua inocência”.

O julgamento está previsto para julho de 2023 e, dada a sua cooperação com as autoridades do Reino Unido, o magistrado o libertou sem medidas cautelares.

Gibbs defendeu que o trabalho de Spacey “exige que ele vá a reuniões, vá a castings, se encontre com diretores e roteiristas”. Mas a verdade é que desde as primeiras acusações contra ele, em 2017, nos Estados Unidos, sua carreira nunca mais se recuperou.

Movimento MeToo

A onda de denúncias que destruiu sua carreira de sucesso correspondeu ao surgimento do movimento #MeToo, que nasceu em 2017 a partir do caso do todo-poderoso produtor de cinema americano Harvey Weinstein. Naquele ano, Spacey foi alvo de várias denúncias nos Estados Unidos por assédio e agressão sexual.

Como consequência, foi demitido da série “House of Cards”, onde interpretou o personagem principal, o maquiavélico presidente dos Estados Unidos, Frank Underwood. Ele também foi deixado de fora de um filme de Ridley Scott, “Todo o dinheiro do mundo”, no qual foi substituído pelo ator canadense Christopher Plummer. Sua última grande aparição na tela data de 2018, com a estreia do filme “Billionaire Boys Club”.

Spacey foi inicialmente acusado no estado de Massachusetts de ter forçado um garoto de 18 anos a fazer sexo em um bar, em julho de 2016. Mas essas acusações foram retiradas em 2019. Em outubro passado, o tribunal de Nova York o absolveu em um processo civil por tocar nas partes íntimas do ator Anthony Rapp há 36 anos, durante uma noite em Manhattan.

Em outubro de 2020, ele foi condenado a pagar quase US$ 31 milhões à MRC, a produtora de “House of Cards”, como compensação pela perda de receita atribuída à sua saída da série. Um juiz de Los Angeles confirmou essa compensação em agosto.

Em junho de 2021, Spacey fez um tímido retorno ao cinema com a filmagem na cidade italiana de Turim de um longa-metragem dirigido pelo italiano Franco Nero e intitulado “L’uomo che disegno Dio” (O homem que desenha Deus) onde, segundo o produtor, ele encarna um personagem secundário.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Fábio Porchat e Tatá Werneck falam sobre Paulo Gustavo: “O humor dele ainda salva as pessoas”
Aquário gigante com 1.500 peixes explode em hotel na Alemanha e deixa duas pessoas feridas
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde