Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Home Tecnologia Bill Gates volta a criticar criptoativos; Ele já havia criticado antes, discutindo com Elon Musk sobre o bitcoin ser muito arriscado para investidores de varejo

Compartilhe esta notícia:

O bilionário Bill Gates criticou projetos de criptoativos, como tokens não fungíveis (NFTs), considerando alguns deles como fraudes “com base na teoria do maior tolo do mundo” em uma conferência climática na terça-feira (14). As afirmações reviveram críticas anteriores a ativos digitais feitas por ele.

“Obviamente, imagens digitais caras de macacos vão melhorar imensamente o mundo”, disse Gates sarcasticamente, enquanto falava em um evento em Berkeley, Califórnia, organizado pelo TechCrunch. Ele disse que não está nem comprado nem vendido na classe de ativos.

Gates já havia criticado os criptoativos antes, discutindo com Elon Musk no ano passado sobre se o bitcoin é muito arriscado para investidores de varejo e os danos ambientais da mineração de moedas.

Falando na terça-feira como fundador da Breakthrough Energy Ventures, o fundo focado no clima que ele abriu em 2015, Gates observou a dificuldade de recrutar engenheiros do Vale do Silício para trabalhar em setores como produtos químicos e produção de aço que precisam de menores emissões de gases de efeito estufa.

O bitcoin caiu mais de 15% na segunda-feira e outros 5,4% na terça-feira, como parte de uma venda mais ampla de criptomoedas, alimentada pela inflação mais alta do que a prevista nos EUA e pela interrupção dos saques pela plataforma de empréstimos Celsius. Coleções populares de NFT, incluindo o Bored Ape Yacht Club (BAYC), favorito de celebridades,

Gates também defendeu os esforços bancários digitais que ele apoiou por meio de suas fundações filantrópicas, que ele descreveu como “centenas de vezes mais eficientes” do que as criptomoedas.

Warren Buffett

Outro bilionário e grande amigo de Bill, o megainvestidor e CEO da Berkshire Hathaway, Warren Buffett, de 91 anos, afirmou que não compraria todas as unidades de bitcoin disponíveis no mundo nem por US$ 25. Para Buffett, não há motivo para os Estados Unidos aceitarem essa criptomoeda, ou qualquer dinheiro digital criado por empresas, como substituto do dólar, e que o bitcoin não produz nada — apesar de admitir não saber se o valor do criptoativo vai ou não crescer por um, cinco ou 10 anos.

O megainvestidor afirmou que compraria 1% de todas as terras agrícolas dos Estados Unidos ou 1% de todos os prédios do país por US$ 25 bilhões, porque acredita que esses ativos possam gerar rendimentos, produtos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Alimentação com pouco carboidrato pode ser uma chave para combater o envelhecimento
Estados Unidos liberam o uso de smartwatch para detectar os sintomas de Parkinson
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa