Terça-feira, 24 de Maio de 2022

Home Economia Bolsonaro diz que Petrobras poderia ter lucro menor para evitar disparada de combustíveis

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na quinta-feira (3) que, diante da guerra entre Rússia e Ucrânia, a Petrobras poderia diminuir sua margem de lucro para que o preço dos combustíveis seja reduzido. Bolsonaro afirmou que não irá interferir na empresa, mas disse que a companhia “sabe da sua responsabilidade”.

“Não tenho como interferir, nem vou interferir, na Petrobras. Agora a Petrobras, por sua vez, sabe da sua responsabilidade e sabe o que tem que fazer para colaborar para que o preço do combustível aqui dentro não dispare”, disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo em redes sociais.

Para o presidente, o lucro poderia ser rebaixado “um pouquinho” para “a gente não sofrer muito aqui”.

“Em um momento de crise como esse, eu acho que esse lucro, dependendo da decisão dos diretores, do conselho, do presidente, poderia nesse momento de crise ser rebaixado um pouquinho para a gente não sofrer muito aqui”, avaliou.

Na mesma transmissão, Bolsonaro defendeu a redução da bandeira tarifária da conta de luz. Bolsonaro disse que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já deveria ter encerrado a bandeira “roxa”, em provável referência à tarifa de escassez hídrica.

“Passamos por uma crise hidrológica enorme. A bandeira, pelo que estou sabendo…Não precisa ter bola de cristal, nem é informação privilegiada. Quem define a bandeira é a Aneel. Alguns acham que a Aneel já tinha que baixar esta tarifa, essa bandeira vermelha, roxa, que está em vigor que realmente mete a mão no bolso do contribuinte”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disse que a bandeira deve ser encerrada em abril, confirmando o que ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, já havia anunciado.

“Acredito que em abril, no máximo, agora essa bandeira vai deixar de existir, porque é a lógica. Alguns acham, eu também acho, mas não basta a gente achar, você tem que ver os dados, que já poderia ter zerado o valor dessa bandeira, para o bem de todo mundo, para o bem da economia”, disse.

Reincidente

Bolsonaro costuma criticar a política de preços da Petrobras, que atrela o reajuste dos combustíveis à cotação do petróleo no mercado internacional. Ele afirmou recentemente que trabalha junto à Petrobras para reduzir o valor dos combustíveis “de forma legal”. Ainda assim, o chefe do Executivo voltou a negar na ocasião que iria interferir na política de preços da estatal.

“Estamos tentando sim, de forma legal, junto ao presidente da Petrobras, os diretores, presidentes dos conselhos, ver o que se pode fazer para produzir petróleo, diesel e gasolina em especial, o mais barato possível na ponta da linha”, declarou o presidente em entrevista ao ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PROS) na Rádio Tupi.

O salto no preço dos combustíveis tem impactado a inflação e, consequentemente, a popularidade do governo em ano eleitoral.

Apesar de relatar tratativas com o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, Bolsonaro mais uma vez negou interferência na empresa. “Não podemos ser irresponsáveis. A gente não pode interferir no preço do combustível. Essa foi a política adotada pelo PT lá atrás. A Petrobras está trabalhando muito bem”, seguiu o presidente na entrevista.

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Imposto de Renda: seis dicas para você receber a restituição primeiro
Governo estuda zerar IOF em operação de crédito para micro e pequenas empresas
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Bom Dia