Sexta-feira, 21 de Junho de 2024

Home Rio Grande do Sul CEEE Equatorial diz que fará melhorias após clientes ficarem até 10 dias sem luz depois de temporal

Compartilhe esta notícia:

Em nova reunião com o Ministério Público (MPRS) nesta segunda-feira (21), a CEEE Equatorial se comprometeu em colocar em prática medidas de curto e médio prazos para melhorar o atendimento aos consumidores. A população da Região Metropolitana – e de outras áreas do Estado – chegou a ficar até 10 dias sem fornecimento de energia elétrica em função dos temporais no começo de março.

A falta de informações, atendimento aos consumidores, assim como a demora no conserto de rede e na religação em caso de desabastecimento de energia elétrica, foram alguns dos problemas relatados por agentes públicos municipais, parlamentares e representante dos consumidores.

Além de admitir falhas da empresa no atendimento aos clientes e na demora no reabastecimento, os gestores da Equatorial se comprometeram com investimentos em equipamentos; digitalização de processos, resultando em mais canais de atendimento, e incremento das equipes, com a contratação de pessoal.

O MPRS também deve instaurar um inquérito civil para buscar provas e investigar os fatos que levaram a concessionária, empresa privada que assumiu o atendimento da CEEE após a privatização realizada pelo governo do Estado, a apresentar tantos problemas de falta de luz nos cerca de 70 municípios de sua responsabilidade.

“Nós fizemos essa reunião de trabalho mais ampla para permitir que vários segmentos da sociedade pudessem se manifestar e encaminhar suas questões à direção da empresa. Concluída esta etapa, a Promotoria do Consumidor irá instaurar um inquérito civil para acompanhar as medidas anunciadas pela Equatorial no prazo estabelecido por eles”, disse o procurador-geral de Justiça, Marcelo Dornelles, ao final do encontro.

“Estamos assumindo o nosso compromisso e imagino que o Ministério Público possa colocar para empresa o seu devido papel. Vamos continuar sendo a voz da sociedade gaúcha”, disse o presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, deputado Edegar Pretto.

Alexandre Jung, gerente do setor de energia da Agergs (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS), disse que o serviço de energia elétrica no Brasil é regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e que compete à Agergs fazer a fiscalização do setor no Estado. Segundo ele, a Equatorial tem até o final deste ano para apresentar os resultados com os quais se comprometeu com Agergs, sobre os problemas ocorridos de fevereiro para cá.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Caso Rafael: realização do júri custou mais de R$ 160 mil ao Judiciário gaúcho
Covid: Ministério da Saúde deve anunciar quarta dose para pessoas com mais de 80 anos em todo o País
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias