Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024

Home Variedades Cinco sinais de que seu cachorro tem medo de fogos de artifício

Compartilhe esta notícia:

O show de luzes coloridas no céu, seguido por estampidos sonoros, é o anúncio tradicional de diversos tipos de celebrações, como a chegada do Ano Novo ou durante os jogos da Copa que, em 2022. E, apesar de causar encanto na maioria das pessoas, a cena protagonizada pelos fogos de artifício pode ser um verdadeiro pesadelo para tutores de cães e gatos.

Se você não sabe se seu pet tem medo ou não e quer minimizar o sofrimento do peludo, se liga nessas dicas! Não são só os cães que tremem, latem, se escondem ou pedem colo que estão angustiados. Sinais brandos como sustos, lamber o focinho, piscar forte várias vezes seguidas e sair do local que estava e agitação excessiva podem demonstrar que o pequeno precisa de ajuda. “Os tutores, muitas vezes, não procuram ajuda porque acham que é só uma situação de estresse. Mas na verdade, é como se fosse um ataque de pânico” explica Alessandra Novak Bentes, médica-veterinária.

Sinais de medo em cães: Tremer; Respiração ofegante; Taquicardia; Vômitos, diarreia e coceiras; Agitação; Buscar locais para se esconder; Latir; Avançar em pessoas ou animais próximos; Destruir objetos indesejados; Fugir; Arranhar; Lamber focinho, bocejar, piscar, colocar orelha para trás, arregalar os olhos; Pedir colo.

O problema é quando o cão não tem apenas medo. Em alguns casos, evolui para fobia. Não é apenas uma situação que já passa. É como se fosse um ataque de pânico mesmo. E quanto mais o cão passar por situações de medo, sem ser acolhido, maior a chance de evoluir para uma fobia. Por isso, não ignore nem o mínimo sinal de angústia do seu cachorro!

Mesmo que seu cão não apresente medo de fogos em festas de final de ano, não garante a resposta dele durante a Copa. Isso porque teremos dias seguidos de jogos, com festejo ao longo do dia, sem previsibilidade (não só na hora do jogo).

Cachorro pode morrer de ataque do coração por medo?

Segundo Alessandra, se o cão já tem um problema cardíaco grave, por conta do estresse, ele pode hiperventilar e descompensar o batimento cardíaco, podendo, sim, levar a um grado muito grave, como uma parada cardíaca. Por isso, se seu cachorrinho já tem alguma doença ou alteração fisiológica, cuidado redobrado!

Sabendo dos possíveis sintomas, vamos a solução e prevenção. Não espere seu cachorro ter medo para tomar alguma atitude. Vamos criar um ambiente confortável a ele?

Preparando o ambiente para o pet ficar durante os fogos

Antes de mais nada, é importante lembrar que o lugar preferido de qualquer cão é ao nosso lado. Então, em hipótese nenhuma deixe seu cão sozinho.

Monte uma cabaninha para o cão. Pode ser com uma caixa de papelão ou mesmo uma casinha que ele goste muito. Caixa de transporte também funciona, mas nunca, jamais, prenda o cão em caixas ou cercados. Quanto mais acuado ele se sentir, maior o perigo de ferimento. Para ele associar o local a situações confortáveis, passe a oferecer mordedores, tapetes de lamber, comida gostosa e brinquedos nessa cabana.

Antes de começar o jogo, passeie com seu cão. A liberação de endorfina ajuda a minimizar o estresse.

Ofereça algo muito gostoso para ele lamber ou roer antes de começarem os fogos. Não adianta oferecer quando ele já estiver com medo, pois ele não vai pegar.

Cubra portas e janelas com cobertores ou tecidos grossos, para tentar abafar os sons.

Deixe a lua acesa. Nada de deixar o lugar no escuro. O cão não vai relaxar e nem querer dormir.

Descubra quais músicas ele gosta e relaxa. Tem várias playlists de sons relaxantes especificamente para cães e gatos. Não deixe a música super alta, mas em um volume confortável. A Dra. Karin Botteon, veterinária da Boehringer Ingelheim, explica que os cães têm audição muito mais aguçada que os humanos. Para colocar em perspectiva, o ouvido humano é capaz de captar sons na faixa de 10 Hz a 20.000 Hz. Já os caninos conseguem perceber barulhos de 10 Hz a 40.000 Hz, podendo também detectar sons em distâncias quatro vezes maiores do que nós humanos. Então, prestar atenção na audição do cão é fundamental.

Evite levar o cachorro a locais desconhecidos, como casa de amigos. A chance de ter mais medo ou até tentar fugir é bem maior. Receber amigos em casa também requer atenção e compreensão se é algo confortável ao cão. Se ele já tem um medo ou desconforto na hora de receber visitas, isso pode acentuar as respostas aos fogos.

Uma ferramenta que eu gosto muito de utilizar são os aromas vindos dos óleos essenciais. Lavanda, laranja doce e camomila ajudam a criar um ambiente relaxante. Mas não podemos esquecer da sensibilidade olfativa dos cães, por isso faça um teste de preferência. Abra um pouco cada um dos frascos e coloque próximo ao cão e observe a resposta dele. Se ele sair, virar o corpo ou espirrar, sinal que ele não se sentiu bem com o aroma. Agora, se ele aceitar, dê preferência para usar em você ou em locais que ele tenha a opção de não estar em contato o tempo todo. Não passe na caminha ou no próprio cão, por exemplo.

Os feromônios sintéticos são incríveis para ajudar em situações específicas de medo de barulho. Ele não irá acalmar o cão, mas ajudará a deixá-lo mais apto e seguro para lidar com situações de angústia. Lembrando que se for usar em difusor, deve ser colocado na tomada pelo menos 6 horas antes do seu uso. Se usar spray, borrife em bandana ou caminha, mas deixe de 10 a 15 minutos sem acesso ao cão, para que seja liberado todo álcool do produto.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Mais de 1 bilhão de adolescentes e jovens estão sob risco por uso de fone e música alta; entenda
Famílias de Tite e Lucas Paquetá estão hospedadas em condomínio com aluguéis de até 200 mil reais por mês
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News