Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Home coronavírus Confira os sintomas mais comuns da Ômicron em pessoas vacinadas

Compartilhe esta notícia:

A Ômicron tem afetado até mesmo as pessoas vacinadas — que comprovadamente estão muito mais protegidas contra os efeitos do coronavírus. A variante tem um nível de transmissibilidade jamais visto e é importante estar atento aos sintomas dessa nova forma da doença.

Uma análise feita pelo Zoe Symptom Study App, que estuda o impacto da pandemia de covid-19 no Reino Unido, mostra que os sintomas mais comuns da Ômicron em pessoas vacinadas são: coceira no nariz; tosse; dor de garganta; espirros; dor de cabeça; náuseas; dores musculares; diarreia e erupção cutânea.

Apesar dos sintomas poderem ser bastante desconfortáveis, dificilmente uma pessoa com o programa de imunização completo precisará ser internada na UTI por conta do coronavírus seja com a Ômicron ou com outra variante.

Médicos especialistas e até o ministro da Saúde do governo Bolsonaro admitiram recentemente que os pacientes brasileiros de covid na UTI são os que não quiseram se vacinar.

O professor de epidemiologia genética do King’s College de Londres e organizador do Zoe Symptom Study App, Tim Spector, comenta que no início da pandemia os sintomas mais comuns da covid-19 eram claros. Os sinais incluíam tosse, febre e perda de olfato. Sensação de fadiga, dores de cabeça, falta de ar e dores musculares também ocorriam, mas eram menos recorrentes.

“Quando a Delta apareceu, notamos uma mudança nos sintomas mais frequentemente relatados. Sinais comuns como falta de ar, febre e perda de olfato caíram no ranking. Coriza, dor de garganta e espirro persistente tornaram-se mais normais, junto à dor de cabeça e tosse, particularmente em pessoas vacinadas”, diz Spector.

Segundo ele, a Ômicron parece continuar a tendência da variante Delta. “Ela está causando sinais que são muito mais como os de um resfriado normal, particularmente em pessoas que foram vacinadas, e menos sintomas sistêmicos gerais, como náuseas, dores musculares, diarreia e erupções cutâneas”, explica.

O levantamento visualizou os relatórios de saúde das pessoas que relataram ter covid em dezembro no Reino Unido, e comparou com dados do início de outubro, quando a Delta era a variante dominante.

“Nossa análise não mostrou diferença significativa no perfil geral dos sintomas de Delta e Ômicron, com os cinco principais sintomas em ambos os períodos sendo nariz escorrendo, dor de cabeça, fadiga, espirro e dor de garganta”, indicou o professor.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de coronavírus

Em São Paulo, Ômicron afeta transplante de órgãos e estoque de bancos de sangue
Para cientistas, coronavírus não sumirá com “imunidade de rebanho”
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde