Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

Home em foco Defensor do fim do Banco Central e “anarcocapitalista”: quem é Javier Milei, candidato ultraliberal que vai ao 2º turno na Argentina

Compartilhe esta notícia:

Javier Milei é um economista argentino formado pela Universidade de Belgrano, tem 52 anos e é natural de Buenos Aires.

Segundo o jornal “Clarín”, Milei, da chapa “A Liberdade Avança”, se apresentava — e era visto assim — como um personagem que vinha de fora para combater as más práticas da política. Suas promessas incluem adotar o dólar como moeda e fechar o Banco Central.

“Estamos propondo um sistema bancário e a reforma monetária que acabará levando à extinção do Banco Central, onde os argentinos podem escolher sua moeda e não serem obrigados a suportar a moeda emitida pelos políticos argentinos”, disse ele em entrevista à agência Reuters em maio de 2022.

O jornal “El País” descreve Milei como um economista ultraliberal, que se declara “anarcocapitalista”. O argentino é contra o aborto, a favor do casamento homoafetivo, considera as mudanças climáticas “uma farsa” da esquerda.

Milei foi assessor do general Antonio Bussi, militar que foi governador da província de Tucumán durante a ditadura e posteriormente deputado nacional; economista-chefe da Fundação Acordar, do ex-governador peronista de Buenos Aires, Daniel Scioli; e trabalhou na empresa que administra a maioria dos aeroportos argentinos.

É também admirador de Jair Bolsonaro, com quem costuma ser comparado, e de Donald Trump.

O jornal “La Nación” diz que “a relação de Milei com a imprensa é ambivalente”. Na mídia, começou com um programa de rádio na emissora online Conexioón Abierta, quando passou a ser chamado para participar programas da televisão que reúnem diversos convidados para falar de tudo.

E aí explodiu em visibilidade, reconhecimento, seguidores nas redes e aumentou seus honorários, apesar de desconfiar de jornalistas e ficar furioso com algumas perguntas. Também já insultou repórteres e impôs condições para conceder entrevistas, como escolher perguntas e proibir temas.

Perfil

Filho de um motorista de ônibus que se tornou empresário do transporte e de uma dona de casa, Milei cresceu em um lar violento e sofreu bullying na escola.

“Para mim eles estão mortos”, dizia sobre seus pais em 2018, no auge de sua carreira como apresentador de um talk show de televisão, segundo o jornal “El País”. Ele voltou a falar com os pais durante a pandemia, segundo o “La Nacion”.

É fã de Rolling Stones, grupo que sempre homenageava quando integrava a banda Everest, e chegou a tentar carreira como goleiro de futebol, sem sucesso. Foi criado pela avó materna e tem cinco cachorros da raça mastiff, que costuma chamar de “filhos de quatro patas” (Conan, Murray, Milton, Robert e Lucas). Não é visto acompanhado desde o fim do casamento com cantora Daniela Mori.

Apesar dos problemas com os pais, é próximo da irmã, Karina, que coordena sua campanha.

Católico de origem, mas inclinado ao judaísmo nos últimos anos, Milei tem o rabino Axel Shimon Wahnish como seu guia.

Autor de uma biografia não autorizada, o jornalista Juan Luis González afirma que Milei busca formas de entrar em contato com um de seus cachorros que já morreu. E que Milei toma decisões de acordo com o que sai em cartas de tarô.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Brasileiro está desaparecido em Israel desde o ataque do Hamas
Operação de resgate: entenda como o Itamaraty tenta manter vivos os brasileiros em Gaza
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias