Quarta-feira, 19 de Junho de 2024

Home Mundo Donald Trump é condenado por fraude fiscal; “Julgamento corrupto”, diz ex-presidente dos EUA

Compartilhe esta notícia:

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi considerado culpado de todas as 34 acusações de falsificação de registros comerciais para encobrir um pagamento que comprou o silêncio da estrela de filmes adultos, Stormy Daniels, pouco antes das eleições de 2016.

Os jurados começaram as deliberações na quarta-feira (29) e avaliaram um veredito com implicações potencialmente grandes para a corrida do candidato republicano à Casa Branca em 2024. Trump foi julgado e condenado por 34 crimes que são considerados leves no estado de Nova York, da categoria mais branda, a classe E. As penas previstas são de, no máximo, 4 anos.

O caso marca o primeiro julgamento criminal da história de um presidente dos Estados Unidos.

“Este foi um julgamento manipulado por um juiz em conflito de interesses e corrupto”, disse o ex-presidnete nesta quinta, após a decisão ter sido anunciada.

“O real veredito virá em 5 de novembro”, complementou ele em referência ao dia das eleições presidenciais no país.

A atriz ameaçou tornar público um relato de um suposto encontro sexual com o ex-presidente em 2006, que Trump nega. Foram 12 jurados que deliberaram sobre o caso de Trump. Sete jurados homens e cinco mulheres.

O julgamento chegou ao fim na terça-feira (28), em quase 10 horas de argumentos finais numa demonstração de hostilidade aberta entre advogados rivais.

Geralmente, o juiz determina que o condenado pode cumprir as penas ao mesmo tempo — ou seja, no pior dos cenários, ele passará 4 anos preso. No entanto, os analistas dos EUA afirmam que é pouco provável que o ex-presidente de fato vá para a cadeia.

As circunstâncias que o juiz pode levar em conta para atenuar a pena de Trump são as seguintes:

Essa é a primeira condenação criminal dele.
O crime não foi violento.
A idade do condenado é de 77 anos.
Ele já foi presidente dos EUA e pode ser novamente.
O mais provável é que a condenação seja uma multa e um período em liberdade condicional.

Nos meios de comunicação americano se fala na possibilidade de Trump ser eleito e dar um perdão presidencial para si mesmo. Juridicamente, não está claro se isso é possível. Neste caso específico, isso não poderá acontecer porque a condenação aconteceu na Justiça de Nova York — portanto, cabe ao governador do estado dar um perdão, se assim quiser.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Saiba como fica a situação do Grêmio na Libertadores após goleada sobre o The Strongest
Chegam ao Rio Grande do Sul itens para emergências humanitárias doados pelo governo italiano
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias