Sexta-feira, 19 de Julho de 2024

Home Economia Economistas preveem inflação no Brasil um pouco menor em 2024, mas mantêm os juros básicos em 9%

Compartilhe esta notícia:

Na primeira divulgação do ano para o Boletim Focus, do Banco Central (BC), os economistas do mercado reduziram levemente as expectativas para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2024, de 3,91% para 3,90%. Já a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi mantida em 1,52%, enquanto a taxa de juros permaneceu em 9%.

Excepcionalmente, a divulgação do boletim com projeções para os principais indicadores econômicos ocorreu na terça-feira (2) em razão do feriado de Ano Novo na última segunda (1º).

Inflação

A expectativa para a inflação anual ficou praticamente estável no Boletim Focus de terça. A projeção para 2023 seguiu em 4,46%. Um mês antes, a mediana era de 4,54%.

Para 2025, a projeção continuou em 3,5% pela 23ª semana consecutiva. No horizonte mais longo, de 2026, a estimativa também continuou em 3,5%, pela 26ª semana seguida.

Juros

Em dezembro passado, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central cortou a taxa básica de juros (Selic) pela quarta vez consecutiva em 0,50 ponto porcentual, para 11,75% ao ano.

O colegiado manteve a sinalização de que o ritmo de corte de 0,50 ponto porcentual continua sendo o mais apropriado para as próximas reuniões. Posteriormente, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, enfatizou que essa mensagem vale para dois próximos encontros do comitê: de janeiro e março deste ano.

Segundo o Boletim Focus de terça, o mercado não alterou suas expectativas: para este ano, a previsão é de que a taxa Selic esteja em 9% no final do ano. Para o fim do próximo ano, a projeção dos economistas para a taxa básica de juros continuou em 8,5% ao ano, patamar em que já se encontrava um mês antes. Para 2026, a projeção também seguiu em 8,50% ao ano pela 22.ª semana consecutiva.

PIB

O Boletim Focus também manteve a projeção para o PIB deste ano, repetindo a estimativa de crescimento de 1,52%. Em relação a 2025, a mediana seguiu em 2%, mesmo porcentual projetado para 2026. O Ministério da Fazenda revisou em novembro sua projeção para o crescimento do PIB de 2023 de 3,2% para 3%. Para 2024, a estimativa da equipe econômica é de 2,2%.

No Banco Central, a projeção também é de crescimento de 3% para 2023, mas de 1,7% para 2024, conforme o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro. No final do ano passado, Campos Neto disse estar mais otimista do que a estimativa apresentada pela própria instituição, que é preparada pela equipe técnica.

Já a estimativa da dívida pública/PIB em 2023 passou de 61,20% para 61,05%

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

O ex-presidente Collor foi condenado a oito anos de prisão pelo recebimento de R$ 20 milhões em propinas. Ele aguarda em liberdade o último recurso
Ao longo de 30 anos, jovens que não trabalham e nem estudam podem reduzir o PIB do Brasil em 10 pontos
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde