Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

Home Flávio Pereira Em 2022 temos a opção do socialismo venezuelano onde os gatos e cachorros sumiram

Compartilhe esta notícia:

Neste ano teremos eleições no Brasil. Neste início de ano, já surge com toda a intensidade, trazida pelos mesmos personagens da esquerda, a sedução das propostas socialistas, oferecendo o paraíso, e a distribuição igualitária da renda para todos.

Já tivemos uma amostra recente da capacidade destruidora do socialismo, da corrupção e do controle da mídia, defendidos pela esquerda brasileira, por artistas que perderam a mamata das verbas públicas, e por parte da mídia, que sonha implantá-lo no país, e foi capaz de transformar a Venezuela, que na década de 1970, estava entre os 20 países mais ricos do mundo, num inferno da mendicância, sob o bolivarianismo.

Já se passaram 15 anos de revolução bolivariana, e após o sonho da “Pátria Grande”, a Venezuela está mergulhada na maior crise econômica da sua história. Os relatos revelam saques, mortes, e cachorros como alimentos. Segundo o PanAm Post: Ramón Muchacho, prefeito de Chacao (uma subdivisão administrativa de Caracas), disse que as ruas da capital venezuelana estão repletas de pessoas matando animais para comê-los. Em seu Twitter, Muchacho relatou que, na Venezuela, é uma “realidade dolorosa” o fato de que pessoas estão “caçando gatos, cachorros e pombos” para aliviar sua fome. As pessoas também estão catando restos de vegetais das lixeiras e do chão para se alimentar. […]”.

Na Venezuela socialista, 87% da população é pobre e 61% vive em pobreza extrema, segundo dados divulgados pela organização não-governamental Coligação de Organizações pelo Direito à Saúde e à Vida (Codevida).

Brasil acolhe venezuelanos

O Governo Federal regularizou apenas em 2021, mais de 287 mil migrantes e refugiados venezuelanos através da Operação Acolhida. Foram mais de 64 mil pessoas interiorizadas em 778 municípios espalhados por todo o Brasil. De acordo com a Casa Civil, mais de 1,7 milhão de atendimentos foram realizados na fronteira do Brasil com a Venezuela. Em outubro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro visitou um acampamento de venezuelanos da Operação Acolhida, em Roraima, Boa Vista. Comentou como se chegou a esse ponto na Venezuela:

“O presidente brasileiro do passado ia na Venezuela fazer campanha para (Hugo) Chávez e Maduro. É aquele pessoal do Foro de São Paulo. Sempre enganando o povo dizendo: ‘Olha, vou fazer isso de bom para você. O outro é um malvadão’, conduzindo as pessoas, induzindo a ir para a esquerda, se associar ao socialismo. Tem aquele discurso maravilhoso, mas que, na prática, é completamente diferente. Vocês viram a quantidade de crianças que está aqui. Nós não queremos isso para nossos filhos. Não estou reclamando, nem fazendo campanha, nada disso, estou mostrando a realidade. O ideal é a Venezuela voltar à normalidade. Só um milagre para isso acontecer. A gente tem que aprender com o erro dos outros”.

Em Canoas, valerá o mérito dos diretores de escola

Andou bem o prefeito Jairo Jorge, de Canoas, ao anunciar medidas importantes, como um orçamento impositivo municipal, que permitirá aos vereadores indicar diretamente o destino de parte dos recursos públicos, e a adoção do critério da meritocracia para escolha dos dirigentes de escolas. Com o propósito de melhorar os índices de desenvolvimento da educação básica, deixa de valer a eleição interna onde ganhava aquele que prometia mais mamatas em troca de apoios, independente da capacidade de gestão. O processo de escolha dos diretores vai valorizar itens importantes, e obedecerá quatro critérios diferentes:

– Prova escrita classificatória.

– Avaliação de competências e habilidades.

– Entrevista individual.

– Avaliação de títulos.

E agora? Quarta dose para quem tomou CoronaVac

A CoronaVac sofre mais um revés, com o estudo preliminar publicado no site especializado medRxiv. O estudo mostra que quem recebeu a vacina CoronaVac pode precisar de duas doses de reforço contra a variante Ômicron do coronavírus. Ou seja, terá ao todo quatro doses de vacina experimental no organismo. A pesquisa envolveu mais de cem participantes, entre cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, do Ministério da Saúde da República Dominicana e de outras instituições. O artigo, é identificado pelo título “Imunogenicidade do reforço heterólogo de BNT162b2 em indivíduos totalmente vacinados com CoronaVac contra as variantes Delta e Ômicron do SARS-CoV-2: a experiência da República Dominicana”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

2022 será um ano de escolhas decisivas
A quem interessa a morte de Jair Bolsonaro
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa