Terça-feira, 24 de Maio de 2022

Home em foco Estados Unidos suspendem uso de medicamentos contra covid liberados no Brasil; Anvisa pede explicações a laboratórios

Compartilhe esta notícia:

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou explicações aos laboratórios Eli Lily e Roche para manter em vigor a liberação de uso emergencial de dois coquetéis de anticorpos monoclonais para o tratamento da covid. São eles: casirivimabe + indevimabe, conhecido como Regn-CoV2, e etesevimabe + banlanivimabe.

Segundo a Anvisa, o prazo de resposta vai até o fim desta semana. Se não houver retorno das farmacêuticas, será considerada uma infração.

O pedido foi divulgado depois que o Food and Drugs Administration (FDA) suspendeu o uso, que segue em vigor em território nacional. A justificativa do órgão regulatório dos Estados Unidos é a baixa eficácia contra a variante ômicron, prevalente no país. A cepa também já domina as infecções no Brasil.

“A questão envolvendo as variantes circulantes no território nacional é muito relevante e deve ser constantemente avaliada. Os dados disponíveis e limitações quanto à eficácia contra variantes estão previstos em bula, ficando a cargo do prescritor a avaliação clínica de eventual benefício quando da utilização do tratamento”, diz a nota.

Os medicamentos foram aprovados em maio de 2021 e só podem ser aplicados em hospitais. É vedada a venda em farmácias. A indicação é para casos leves ou moderados, sem ventilação mecânica e com risco para a forma grave da covid.

Pílula da Pfizer

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou a pílula contra a covid da Pfizer, a Paxlovid. Esse é o primeiro tratamento oral contra a covid autorizado na União Europeia.

A EMA recomendou a autorização do Paxlovid para o tratamento da covid em adultos que não necessitam de suporte respiratório, mas que correm risco de agravamento da doença.

“O Comitê de Medicamentos de Uso Humano (CHMP) da EMA recomendou a concessão de uma autorização condicional de comercialização para o medicamento antiviral oral Paxlovid”, declarou o regulador europeu em um comunicado.

Segundo o comitê, os benefícios do medicamento são maiores que seus riscos. A EMA enviará suas recomendações à Comissão Europeia.

“Com a autorização do Paxlovid esta semana, foram autorizados 6 medicamentos contra o coronavírus no marco da estratégica terapêutica da União Europeia”, disse em outro comunicado a comissária europeia de Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides.

Estados Unidos, Canadá e Israel fazem parte de um grupo de países que já autorizou o tratamento da Pfizer.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Tribunal de Contas da União pode dar sinal verde para privatização da Eletrobras em fevereiro
Marinha deve permitir que sargento trans use traje feminino
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa