Terça-feira, 25 de Junho de 2024

Home em foco Ex-prefeito de Uberaba Marcos Montes será o novo ministro da Agricultura

Compartilhe esta notícia:

O ex-prefeito de Uberaba (nas gestões 1997/2000 e 2001/ 2004), Marcos Montes Cordeiro (PSD), vai assumir nesta quinta-feira (31), o comando do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em cerimônia que está marcada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF).

Desde fevereiro de 2019, Marcos Montes ocupava o cargo de secretário-executivo do Mapa. Ele já foi deputado federal por três mandatos e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara.

Montes substituirá Tereza Cristina (PP), que se afastará da função para concorrer a uma vaga no Senado Federal pelo estado do Mato Grosso do Sul. Ela esteve à frente do Mapa desde o início do governo Bolsonaro.

Na terça-feira da semana passada (22), durante uma reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), a própria Tereza Cristina, defendeu o nome de Montes para substituí-la e assumir o comando do Mapa no fim deste mês, data limite para a desincompatibilização dos interessados em disputar as eleições de outubro.

“Espero muito que ele [Marcos Montes] continue os meus passos”, destacou Tereza Cristina, em entrevista ao Canal Rural.

Marcos Montes foi destaque em 2017 e em 2018 na defesa da agropecuária, segundo avaliação do júri especializado do Prêmio Congresso em Foco.

Além disso, listas do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) de 2017 e 2018, indicaram Montes entre os parlamentares mais influentes do Congresso Nacional e um dos nove de Minas Gerais, estado que na época tinha uma bancada de 53 deputados federais e três senadores.

Propostas de Montes, quando ele foi deputado federal, transformadas em leis:

— Lei 13.482/2017: sancionada pela Presidência da República em 2017 e que determina que o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil divulgue, a cada três meses, os valores arrecadados por meio do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante e a destinação de recursos ao Fundo de Marinha Mercante.

— Lei 12.441/2011: sancionada pela Presidência da República em 2011 e que criou a empresa individual de responsabilidade limitada – a Eireli, que facilita a composição de uma empresa, sem a necessidade da presença de um sócio minoritário, muitas vezes chamado de “laranja”. Milhares de empresas foram criadas a partir da lei.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Bolsonaro aumenta presença de ambientalistas e setor privado em conselho do meio ambiente
Tribunal Federal da 3ª Região, em SP, é alvo de ataque hacker e suspende trabalhos
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias