Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Brasil Falsa ameaça de bomba atrasa voo da Azul no aeroporto de Campinas

Compartilhe esta notícia:

Após a ameaça de uma bomba, um voo com destino a Cascavel, no oeste do Paraná, registrou atraso de seis horas, de acordo com o aeroporto da cidade. O caso foi registrado no último domingo (20).

Conforme o aeroporto, o voo AD 4727 da Companhia Azul Linhas Aéreas deveria decolar às 17h30 de Viracopos, em Campinas, no Estado de São Paulo, e pousar às 19h na cidade. Porém, após a ameaça, o pouso ocorreu apenas à 1h55 de segunda-feira (21).

A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, administradora do Aeroporto Internacional de Viracopos, disse que um passageiro, minutos antes da decolagem, afirmou estar com um artefato explosivo.

A Polícia Federal (PF) foi acionada e, em contato com o comandante, iniciou os protocolos-padrão para avaliar a gravidade da ameaça. A corporação solicitou ao comandante que ele identificasse o passageiro e informasse se ele estava acompanhado e o que mais levava na bagagem, além da suposta bomba.

Em seguida, o comandante do voo da empresa Azul preencheu um termo de desembarque compulsório, e o passageiro foi retirado da aeronave. A PF pediu a presença de um um ETD (detector de traços explosivos) móvel para verificar as bagagens de mão antes de manuseá-las.

Todas as bagagens de mão do passageiro foram identificadas e retiradas da aeronave para inspeção. Depois que o resultado deu negativo para explosivos, as bagagens do passageiro foram retiradas do porão.

Após a certificação da segurança do voo, o passageiro, que não teve a identidade revelada, foi encaminhado às dependências da PF no aeroporto e, depois, à Delegacia de Campinas, onde foi autuado em flagrante pelo crime de atentado à segurança do transporte aéreo. A pena varia de 2 a 5 anos de prisão.

Em nota, a Azul Linhas Aéreas informou que devido a uma “cliente indisciplinado” o voo precisou ser cancelado, mas que foi remarcado para a mesma data. A companhia afirmou ainda que lamenta os eventuais transtornos aos clientes, mas que estes procedimentos são necessários para garantir a segurança. A empresa informou ainda que prestou toda a assistência necessária aos clientes.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O fim da regra que impede juízes de julgar clientes de parentes
Polícia Federal abre inquérito para investigar as causas do apagão que atingiu 25 Estados e o Distrito Federal
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias