Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2022

Home em foco Itália autoriza vacinação anti-covid de crianças de 5 a 11 anos

Compartilhe esta notícia:

A Agência Italiana de Medicamentos (Aifa) deu aval nesta quarta-feira (1º) para a vacinação contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 em crianças entre 5 e 11 anos de idade.

A decisão foi anunciada após a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendar, no último dia 25 de novembro, a utilização da vacina anti-covid do consórcio BioNTech/Pfizer em crianças da mesma faixa etária.

Segundo as autoridades sanitárias, “os dados disponíveis demonstram um elevado nível de eficácia e atualmente não existem sinais de alerta em termos de segurança”.

Com a aprovação da Aifa, a vacinação na Itália será realizada com duas doses da Pfizer, com formulação reduzida (um terço da dosagem original), a serem aplicadas com três semanas de intervalo.

Para evitar possíveis erros de administração, o Comitê Técnico-Científico (CTS) da Itália recomenda, para a faixa etária em questão, o uso exclusivo da formulação pediátrica, sugerindo, quando possível, a adoção de esquemas de vacinação adequados à idade.

No parecer, o CTS observa que “embora a infecção por Sars-CoV-2 seja certamente mais benigna em crianças, em alguns casos pode estar associada a consequências graves, como o risco de desenvolver síndrome inflamatória multissistêmica, que também pode exigir hospitalização em terapia intensiva”.

“A vacinação traz benefícios como a possibilidade de frequentar a escola e levar uma vida social caracterizada por elementos lúdicos e educativos, particularmente importantes para o desenvolvimento psíquico e da personalidade desta faixa etária”, diz o comunicado.

O estudo principal da vacina anti-covid da Pfizer na população de 5 a 11 anos “mostrou 90,7% de eficácia na redução de infecções sintomáticas por SARS-CoV-2 em comparação com placebo e a não inferioridade da resposta imunológica comparada com a observada na população de 16 a 25 anos”.

Maior número

Também nesta quarta, a Itália registrou mais 15.085 casos e 103 mortes na pandemia de covid-19, de acordo com boletim do Ministério da Saúde. Com isso, o total de contágios já diagnosticados no país subiu para 5.043.620, enquanto o de óbitos chegou a 133.931.

O número de mortes desta quarta é o maior para um único dia na Itália desde o último dia 28 de maio, quando houve 126 vítimas. Já a quantidade de casos é também a maior desde 22 de abril. Na data, foram registrados 16.232 novos contágios.

De acordo com o balanço do Ministério da Saúde, a Itália acumula mais de 4,7 milhões de curados e 199.783 casos ativos, maior valor desde 4 de junho (200.192). Até o momento, mais de 84,5% do público-alvo (pessoas a partir de 12 anos) está totalmente vacinado.

O recrudescimento da pandemia tem deixado o país europeu em alerta e fez o governo do premiê Mario Draghi antecipar para hoje o início da dose de reforço da vacina para todos os adultos.

Além disso, entre 6 de dezembro e 15 de janeiro, pessoas que não tenham se vacinado nem se curado recentemente da covid não poderão entrar em áreas cobertas de bares e restaurantes, casas noturnas, shows e eventos esportivos.

Por causa da variante ômicron, o governo ainda proibiu a entrada de viajantes que tenham transitado por África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Moçambique, Namíbia e Zimbábue nos 14 dias anteriores à chegada na Itália.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Banco Central começa explorar a criação de uma moeda digital brasileira
Alemanha tem o dia com mais mortos pela covid desde fevereiro
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde