Sábado, 02 de Março de 2024

Home em foco Jorge Messias é anunciado por Lula como ministro da Advocacia-Geral da União

Compartilhe esta notícia:

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) escolheu nessa quinta-feira (22) o procurador Jorge Messias para ser o próximo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU).

A AGU, entre outras atribuições, faz a defesa dos Três Poderes em processos na Justiça e dá orientação jurídica a respeito de ações adotadas pelo governo federal, como licitações, contratos, decretos e portarias.

O advogado-geral da União, cargo com status de ministro, assessora o presidente da República, comanda a AGU e representa a União junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Procurador da Fazenda Nacional, carreira que faz parte da AGU, Messias integra a equipe de transição de Lula. Ele participou do grupo técnico de transparência, integridade e controle.

O futuro ministro atuou nas áreas jurídicas dos ministérios da Educação, Casa Civil e Ciência e Tecnologia. Ele foi subchefe para Assuntos Jurídicos (SAJ) da Presidência no governo de Dilma Rousseff.

Messias à época ficou conhecido por ter o nome citado em uma conversa entre Lula e Dilma, na qual a qualidade do áudio fez seu nome ser ouvido como “Bessias”. A conversa foi grampeada no âmbito da Operação Lava-Jato e divulgada pelo então juiz Sérgio Moro.

Durante evento de encerramento do trabalho dos grupos técnicos da transição, o ex-ministro Aloizio Mercadante pediu para que a imprensa se refira ao procurador pelo sobrenome correto, Messias.

Outros anúncios

O presidente eleito, Lula, anunciou nessa quinta-feira (22) outros 15 ministros do futuro governo. Entre eles, estão o vice na chapa vitoriosa nas últimas eleições, Geraldo Alckmin (PSB), que vai comandar a pasta da Indústria e Comércio, e as primeiras mulheres que estarão no ministério do petista.

Em ordem, foram apresentados estes nomes:

  • Alexandre Padilha (Relações Institucionais)
  • Márcio Macêdo (Secretaria-Geral)
  • Nísia Trindade (Saúde)
  • Camilo Santana (Educação)
  • Esther Dweck (Gestão)
  • Márcio França (Portos e Aeroportos)
  • Luciana Santos (Ciência e Tecnologia)
  • Cida Gonçalves (Mulheres)
  • Wellington Dias (Desenvolvimento Social)
  • Margareth Menezes (Cultura) – já havia sido anunciada
  • Luiz Marinho (Trabalho)
  • Anielle Franco (Igualdade Racial)
  • Silvio Almeida (Direitos Humanos)
  • Geraldo Alckmin (Indústria e Comércio)
  • Vinícius Marques de Carvalho (Controladoria-Geral da União).

Embora tenha anunciado Alckmin como ministro da Indústria, Lula havia dito inicialmente que seu vice não chefiaria nenhuma pasta ministro. Mas nessa quinta o presidente eleito explicou que, inicialmente, chamou para o cargo o empresário Josué Gomes, que recusou o convite.

Antes da cerimônia nesta quinta, Lula já havia anunciado cinco ministros do futuro governo:

  • Fernando Haddad (Fazenda)
  • Flávio Dino (Justiça)
  • José Múcio Monteiro (Defesa)
  • Mauro Vieira (Relações Exteriores)
  • Rui Costa (Casa Civil)

No total, o próximo governo vai ter 37 ministérios. Falta definir, portanto, o nome dos comandantes de 16 pastas, o que deve acontecer até a próxima terça-feira (27).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

PEC da Transição: entenda como a aprovação mexe com o jogo de forças entre Lula e o Centrão
Futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad anuncia 4 novos nomes para a equipe econômica
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde