Domingo, 28 de Novembro de 2021

Home Economia Juros de crédito imobiliário sobem em bancos públicos em meio à alta da Selic

Compartilhe esta notícia:

Com a taxa básica de juros em 7,75% ao ano e em tendência de alta, bancos públicos aumentaram as tarifas cobradas para financiamento imobiliário desde setembro – e os privados sinalizam que reajustes nas tarifas podem ocorrer ao longo dos próximos meses. A expectativa é que o custo do crédito para a compra de imóveis volte a ficar mais caro a partir de 2022, já que as taxas devem voltar ao patamar de dois dígitos.

A Caixa Econômica Federal (CEF), que lidera o segmento, aumentou as taxas do crédito tradicional (pré-fixado). As tarifas foram de 7% ao ano mais TR em setembro para 7,25% ao ano mais TR atualmente. Na linha atrelada à poupança, os juros foram reduzidos em outubro e permanecem a partir de 2,95% ao ano, somadas à remuneração da caderneta.

Sobre o reajuste na linha pré-fixada, a Caixa informou que “a definição das taxas de juros se baseia na análise da associação de fatores mercadológicos e conjunturais dentro das regras prudenciais de definição das condições do crédito”.

O Banco do Brasil, por sua vez, afirmou ter repassado um aumento de, em média, 0,4 ponto percentual ao ano às taxas de financiamento imobiliário em outubro. Com o reajuste, o crédito tradicional passou de 6,55% ao ano mais TR em setembro para 7,58% ao ano.

“Não há previsão para novos reajustes, que só se justificam na hipótese das variáveis que compõem os preços se alterarem ou que se verifique condição de mercado”, disse o banco em nota.

Entre os bancos privados, as taxas do Santander foram reajustadas no início de setembro. Na data, elas passaram de 7,99% ao ano mais TR para 8,99% ao ano mais TR. Não houve novos reajustes desde então.

O Bradesco, por sua vez, informou que não houve aumento nas taxas em outubro. Os juros permanecem os mesmos em setembro: a partir de 8,50% ao ano mais TR na linha pré-fixada e 2,99% ao ano mais a remuneração da caderneta, na pós-fixada.

De acordo com o banco, futuros reajustes vão depender da magnitude da alta da taxa Selic nas próximas reuniões do Copom”.
O mesmo fez o Itaú. O banco aumentou suas taxas pela última vez em setembro, quando decidiu reduzir os juros do financiamento atrelado à poupança. As tarifas cobradas no crédito tradicional estão em 8,3% ao ano, mais TR.

O banco afirma que não há previsão de novos aumentos, mas que segue atento “às tendências do mercado”.

Vale lembrar que as taxas anunciadas pelos bancos são as mínimas, e que, para conseguir juros mais baixos, o tomador do crédito precisa quase sempre aceitar uma série de condições. O nível e o tempo de relacionamento com o banco, valor do imóvel, bem como o perfil e renda do consumidor são fatores que também costumam influenciar diretamente as taxas de juros de um financiamento.

Assim, é importante que o tomador do crédito pesquise entre os bancos qual oferece a menor taxa para o seu perfil. Além da taxa de juros, devem ser considerados também os seguros obrigatórios, o sistema de amortização utilizado (SAC ou Tabela Price), além do pacote de serviços exigidos pelo banco para garantir a taxa ofertada.

Juros mais altos em 2022

Com a expectativa de novos aumentos da Selic e das taxas de longo prazo, o crédito imobiliário deve ficar mais caro em 2022, quando os juros devem voltar a dois dígitos.

De acordo com o Banco Central, os juros médios das operações de crédito imobiliário ficaram em 7,42% ao ano em setembro. Em agosto, o percentual foi de 7,16% ao ano.

Diante deste cenário, a Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) prevê uma alta próxima de 10% nos financiamentos imobiliários em 2022, já considerando taxas maiores. Para este ano, a expectativa é de um crescimento de 57% no volume de empréstimos, chegando ao recorde de R$ 195 bilhões.

“Será um resultado positivo [em 2022]. Vamos ver um crescimento em cima de uma base muito parruda”, ponderou Cristiane Portella, presidente da entidade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

De olho nas eleições de 2022, Lula inicia tour pela Europa e se reunirá com diversas lideranças políticas
Pessoas resistentes ao coronavírus inspiram nova tática para vacinas
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa