Quarta-feira, 24 de Julho de 2024

Home Rio Grande do Sul Líder de facção envolvida em ameaça a juiz e promotor é alvo de operação em presídio gaúcho

Compartilhe esta notícia:

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) cumpriu mandados de busca e apreensão na cela de um detento da Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ), em Charqueadas (Região Carbonífera). Trata-se do líder de facção envolvida em ameaças de morte a juiz e promotor durante a realização de um júri em Erechim (Região Norte do Estado).

Durante a sessão, um outro integrante da organização e que era réu em processo criminal ouvia sentença condenatória contra ele quando, em determinado momento, dirigiu-se ao magistrado e ao acusador com uma fala sugerindo retaliação às vidas de ambos.

O Gaeco já havia realizado no dia 29 de maio a operação “Plenário” em Erechim e Passo Fundo (na mesma região gaúcha), tendo como alvo criminosos do mesmo grupo. Foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão.

No caso do detento “visitado” pelas autoridades, a ação – com apoio da Brigada Militar (BM) – teve no comando o promotor Diego Pessi, coordenador do 7° Núcleo Regional do Gaeco na Região Planalto. Segundo ele, faltava apenas o cumprimento dessa ordem judicial para concluir a investigação do caso. O investigado teve um celular apreendido, que será analisado para uso como prova.

Pessi denunciou o apenado outros 18 integrantes da facção, no dia 10 de junho. Também solicitou à Justiça o sequestro de valores vinculados às atividades do grupo, bem como a prisão preventiva de oito acusados, incluindo do alvo da ofensiva em Charqueadas.

Todos foram denunciados por organização criminosa armada e tráfico drogas, praticados mediante violência e táticas de intimidação coletiva, além da já mencionada ameaça a autoridades. A iniciativa abrangeu, ainda, medidas cautelares como bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens.

Operação “Contas Abertas”

Na quinta-feira passada (20), o MP-RS deflagrou a terceira etapa da operação “Contas Abertas”, com apoio da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). Foram revistadas celas e outras dependências da Penitenciária Estadual e do Presídio Regional de Caxias do Sul (Serra Gaúcha).

O objetivo foi apreender telefones celulares e documentos que serão analisados e usados como provas em uma investigação sobre tráfico de armas e drogas, além de lavagem de dinheiro, cometidos por organização baseada na região. Ao menos três integrantes que atuavam de dentro da cadeia foram alvo de mandados de prisão.

Antes, na segunda (17), já haviam sido cumpridas ordens judiciais de busca e de prisão no Presídio Regional de Pelotas (Região Sul), ofensiva que se somou à da semana anterior, quando cerca de 400 agentes cumpriram mais de 20 mandados de prisão e de busca, além do bloqueio de contas bancárias, durante a primeira fase da operação.

A operação percorreu endereços de Bento Gonçalves, Carlos Barbosa, São Valentim do Sul, Guaporé e Barros Cassal. Na lista também estavam cidades de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Rússia convoca embaixadora dos EUA e diz que haverá “consequências” após ataque ucraniano na Crimeia
Movimento promete 500 casas em tempo recorde para desabrigados no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa