Quarta-feira, 01 de Dezembro de 2021

Home Rio Grande do Sul Mais escolas de Canoas aderem à campanha Dignidade Menstrual

Compartilhe esta notícia:

As escolas da rede municipal de ensino de Canoas estão mobilizando a comunidade escolar em defesa da dignidade e contra os estigmas sociais da menstruação. Inicialmente, 11 escolas aderiram ao projeto, com a organização e viabilização de pontos de coleta para doações e distribuição de absorventes e materiais de higiene íntima, atendendo, mensalmente, cerca de 50 adolescentes. A partir da expansão da campanha, serão 21 escolas que estarão engajadas com a expectativa de abranger ainda mais meninas e mulheres das comunidades carentes.

A iniciativa é fruto da campanha Dignidade Menstrual, iniciada no mês de agosto pela secretaria municipal de Educação, em parceria com a Coordenadoria de Mulheres, cuja proposta é combater a pobreza menstrual e construir políticas públicas sobre respeito à educação e distribuição gratuita de material higiênico, facilitando o acesso da população socialmente vulnerável.

De acordo com a secretária de Educação, Sônia da Rosa, a partir das campanhas promovidas dentro das escolas, estão sendo feitas rodas de conversas com as equipes diretivas para que consigam abordar e orientar melhor as meninas. “A nossa campanha tem dois momentos. A primeira foi lá em agosto quando, após uma semana de intensas palestras, pudemos observar que a violência é muito além de física e emocional, é um tipo de violência velada. Tivemos um segundo momento de orientação para que as escolas estivessem habilitados a abordar a temática junto as adolescentes”, ressaltou.

A secretária da Coordenadoria de Mulheres, Vani Piovesan, lembra que a falta de absorventes afeta a saúde mental e emocional. “A pobreza menstrual, que é quando as mulheres e meninas não conseguem comprar material básico de higiene íntima, causa, literalmente, desconforto, insegurança e estresse. Menstruar acaba se tornando um fardo. Essa é uma questão de saúde pública e, principalmente, de dignidade”, reiterou.

Escolas municipais que fazem parte do projeto

Monteiro Lobato, Governador Walter Peracchi de Barcellos, Arthur Oscar Jochims, Castelo Branco, Erna Würth, General Osório, Professora Odette Yolanda Oliveira Freitas, Doutor Nelson Paim Terra, Tancredo de Almeida Neves, David Canabarro, Santos Dumont, Sete de Setembro, Ministro Rubem Carlos Ludwig, Guajuviras, Paulo Freire, Prefeito Edgar Fontoura, Farroupilha,Professora Odette Yolanda Oliveira Freitas, Coronel Francisco Pinto Bandeira, Bilíngue para surdos Vitória e Rio de Janeiro.

Quem puder doar e participar da campanha, pode procurar uma das escolas participantes e fazer a doação.

Pobreza menstrual

O combate à pobreza menstrual está relacionado à falta de produtos de higiene, como absorventes, e de condições básicas para garantir a higiene menstrual. Sem opção, as mulheres nestas condições acabam se utilizando de recursos não higiênicos como jornal, papel higiênico, trapos de pano e até miolo de pão, o que causa problemas de saúde bem mais graves como infertilidade.

Nesse contexto, a campanha visa articular parceiros para a arrecadação de itens de higiene menstrual e promoção da temática da dignidade neste cenário.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Vacinação contra a Covid acontecerá em mais de 50 pontos de Porto Alegre nesta terça
Supremo prorroga inquérito sobre vazamento de informações da Polícia Federal
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde