Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Home Variedades Matt Damon lembra de beijo horrível que deu em Scarlett Johansson

Compartilhe esta notícia:

Quem já passou por uma situação constrangedora com um amigo certamente vai entender Matt Damon. O ator americano revelou, durante entrevista, que nas gravações do filme Compramos um Zoológico (2011), enquanto contracenava com Scarlett Johansson, teve que beijá-la após a atriz ter almoçado um sanduíche de cebola.

No vídeo, o ator explica para Emily Blunt, com quem estrela Oppenheimer, como as coisas se desenrolaram. “O que aconteceu foi que fizemos uma cena antes do almoço, que terminou em um beijo e foi muito bom”, comenta Damon. “Fomos almoçar, e pensamos que tinha acabado, então a Scarlett comeu um sanduíche de cebola”, explica o ator. Quando a dupla voltou ao set, descobriu que a cena ainda não havia terminado.

Baseado nas memórias do escritor australiano Benjamin Mee, Compramos um Zoológico segue o personagem de Damon, um recém-viúvo pai de dois filhos, enquanto ele compra e tenta restaurar um zoológico degradado com sua família. Ao longo do caminho, ele se apaixona pela tratadora Kelly Foster (Scarlett Johansson). O filme está disponível para streaming no Disney+.

Já Oppenheimer, filme que conta com a participação de Damon e Blunt, e conta a história do físico J. Robert Oppenheimer durante o Projeto Manhattan e o desenvolvimento da bomba atômica, está em exibição nos cinemas em todo o País.

A conversa com jornalistas também contou com a participação de Emily, que vive no longa em cartaz nos cinemas a bióloga Kitty Oppenheimer, esposa do físico Robert Oppenheimer, criador da bomba atômica.

Apesar de ter estreado muito bem na última semana, a gente te contou aqui que Oppenheimer não conseguiu atingir os mesmos números de bilheteria de Barbie, que já é a maior abertura do ano nos Estados Unidos até o momento.

Erro histórico em Oppenheimer

O recém-lançado “Oppenheimer”, de Christopher Nolan, tornou-se metade do fenômeno de bilheteria de “Barbenheimer”. Mas os fãs atentos perceberam um erro em uma cena ambientada em 1945, quando J. Robert Oppenheimer, interpretado por Cillian Murphy, está em pé no meio de uma multidão agitando bandeiras americanas – com o número errado de estrelas.

“Foi bom e tudo, mas eu vou ser aquele cara e reclamar que eles usaram bandeiras de 50 estrelas em uma cena ambientada em 1945”, escreveu o usuário do Twitter Andy Craig.

Em 1945, a bandeira americana apresentava 48 estrelas, já que o Alasca e o Havaí ainda não haviam se tornado estados americanos.

Foi em 4 de julho de 1960 que uma bandeira de 50 estrelas foi hasteada pela primeira vez nos Estados Unidos.

Em outra cena ambientada no mesmo ano, a bandeira americana correta está atrás de Oppenheimer.

Um usuário do Twitter tinha uma teoria: “Posso argumentar que isso foi feito intencionalmente, já que as cenas coloridas eram da perspectiva de Oppenheimer, enquanto as cenas em preto e branco eram de objetivas. Esta seria uma memória de Oppenheimer de sua memória atual, que tem 50 estados na bandeira.”

O filme retrata os eventos da vida de Oppenheimer, oscilando entre seus dias como estudante na década de 1920, seu tempo supervisionando o desenvolvimento da bomba nuclear durante a Segunda Guerra Mundial e as audiências do comitê da Comissão de Energia Atômica dos Estados Unidos em 1954 durante a era McCarthy, na qual ele foi destituído de seu certificado de segurança devido a suas associações com o Partido Comunista.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Filho de Pedro Bial e Giulia Gam relembra conflitos na separação dos pais: “Doloroso”
Isis Valverde celebra aniversário de Marcus Buaiz e abre álbum de namoro com o empresário
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News