Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Home Esporte Médicos afirmam que cirurgia encerraria a carreira de Rafael Nadal

Compartilhe esta notícia:

O jornal espanhol AS conversou com três médicos do país, sendo dois traumatologistas e um especialista em dor, para opinarem a respeito do tratamento escolhido pela equipe de Rafael Nadal para tratar a Síndrome de Müller-Weiss, em seu pé esquerdo.

Nadal e seu médico, o ortopedista catalão Miguel Ángel Cotorro, optaram por um tratamento com infiltrações anestésicas antes de suas partidas em Roland Garros. Na sequência do tratamento, o espanhol será submetido a injeções com impulso retrátil.

Esta segunda técnica não é uma inovação, afirmou o especialista em dor de uma das maiores clínicas médicas do país, CEMTRO, o Dr. Ian MacVeigh: “A técnica não é nova, o que é inovador é usá-la para isso. É feita com uma agulha que tem ponta ativa com um eletrodo que é inserido na área danificada e emite ondas de rádio, pulsos de 20 milésimo de segundos com pausas de outros 480. Não destrói tecidos, mas produz neuromodulação no nervo. Com o campo elétrico e magnético, as fibras da dor são alteradas e com ela sua transmissão”, explicou.

Dr. MacVeigh ainda pontuou que acha que a data de início de Wimbledon está muito próxima para que este novo tratamento tenha efeito e explicou que o pé do espanhol não será alterado: “A radiofrequência pulsada não remove a sensibilidade da articulação porque não destrói as fibras nervosas. Em princípio, a mobilidade não seria afetada”, garantiu.

Em caso dos dois tratamentos já tentado não surtirem efeito, o traumatologista especializado em pés, Joaquín Óscar Izquierdo, de uma clínica em Madri, diz que a solução é uma intervenção cirúrgica – que possui duas opções de realização. Entretanto, os médicos ouvidos pelo jornal explicam que apesar de uma opção, uma cirurgia é normalmente evitada sempre que possível e que no caso de Nadal poderia acelerar sua aposentadoria.

“As duas intervenções, no caso de um atleta de elite, podem significar o fim de sua carreira; seria uma solução para levar uma vida normal”, afirma Dr. Ramón Navarro, chefe da unidade de tornozelos e pés da CEMTRO. Embora o caso de Nadal seja imprevisível… Foi um milagre que ele tenha chegado em boas condições físicas se infiltrando apenas para competir. E que ele disse que estava trocando o título em Paris por um novo pé, indica a dor que está passando”, completou ele que já tratou atletas profissionais, mas nunca um caso de Müller-Weiss.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

A tenista Bia Haddad é a primeira brasileira a vencer um troféu na grama desde 1968
Inter vence Goiás por 2 a 1 pelo Campeonato Brasileiro
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Atualidades Pampa