Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

Home Mundo Negociações de trégua entre Israel e Hamas em Gaza são retomadas no Egito

Compartilhe esta notícia:

As negociações foram retomadas neste domingo (03) no Egito sobre uma possível trégua entre Israel e o Hamas durante o Ramadã em Gaza, onde persistem os bombardeios israelenses e a população palestina está à beira da fome.

Delegações do movimento islamista, do Catar e dos Estados Unidos estão na capital egípcia para iniciar “uma nova rodada de negociações”. Os enviados do Hamas precisam decidir sobre a proposta apresentada em Paris no final de janeiro, disse uma fonte próxima do grupo palestino.

Esta proposta dos países mediadores – Catar, Estados Unidos e Egito – baseia-se e uma pausa de seis semanas nos combates e na libertação de 42 reféns em troca de prisioneiros palestinos em Israel.

O objetivo é chegar a uma trégua antes do início do mês de jejum muçulmano, que começará em 10 ou 11 de março. “A princípio, os israelenses aceitaram os elementos do acordo”, disse um alto funcionário dos EUA no sábado, embora Israel não tenha confirmado.

Um acordo poderia ser assinado “dentro de 24 ou 48 horas” se Israel “aceitar as exigências do Hamas, que incluem o retorno dos palestinos deslocados ao norte de Gaza e o aumento da ajuda humanitária”, disse neste domingo um alto líder do movimento islamista.

Fome “quase inevitável” 

No terreno, houve bombardeios noturnos nas cidades de Khan Yunis e Rafah, no sul da Faixa de Gaza, segundo um correspondente da AFP. O governo do Hamas, no poder no enclave desde 2007, indicou que houve disparos de artilharia contra Jabaliya, Beit Hanun, Zeitun e Tal Al Hawa, no norte.

Em quase cinco meses de guerra, as operações militares em retaliação ao ataque sem precedentes do Hamas em Israel, em 7 de outubro, deixaram 30.410 mortos na Faixa, a maioria civis, segundo o último balanço do Ministério da Saúde do território.

Nas últimas 24 horas, 90 pessoas morreram, 14 delas membros da mesma família, em um bombardeio em Rafah.

No ataque dos comandos do Hamas em solo israelense, cerca de 1.160 pessoas morreram, principalmente civis, segundo uma contagem da AFP baseada em dados israelenses. Os islamistas sequestraram cerca de 250 pessoas, das quais 130 ainda estão detidas em Gaza, segundo as autoridades israelenses.

O conflito também causou uma catástrofe humanitária e a fome é “quase inevitável” para 2,2 milhões de pessoas, a grande maioria da população de Gaza, segundo Jens Laerke, porta-voz do OCHA (Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Receita da Sorte de março oferece mais de 80 mil chances de ganhar
Entenda as regras do Tribunal Superior Eleitoral para uso de inteligência artificial nas eleições
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Show de Notícias