Sábado, 15 de Junho de 2024

Home em foco “Nós, Executivo e Legislativo, somos um casal”, diz Bolsonaro

Compartilhe esta notícia:

Em cerimônia para marcar o anúncio de medidas econômicas que visam ampliar a participação de mulheres e jovens no mercado de trabalho, o presidente Jair Bolsonaro (PL), em rápido discurso, destacou sua suposta boa relação com o Congresso Nacional. “Nós, Executivo e Legislativo, somos um casal”, afirmou o chefe do Executivo, que defendeu a atuação do governo em benefício do público feminino – justamente o segmento do eleitorado em que enfrenta maior rejeição.

Bolsonaro quebrou o protocolo e passou a palavra à deputada Celina Leão (PP-DF), presidente da bancada feminina no Congresso. “Tem uma pessoa muito, mas muito melhor do que eu, que pode falar um pouco dessas ações em prol da mulher dentro do Parlamento em um pouco no Executivo”, disse o presidente ao anunciá-la.

Na avaliação de Celina, nunca o País “teve presidente que protegeu e sancionou tantas legislações voltadas às mulheres”.

Michelle

O comando da campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) à reeleição decidiu aproveitar a imagem da primeira-dama Michelle Bolsonaro para atrair o voto feminino. Nesta quarta-feira (4), Michelle participou de um culto promovido pela Frente Parlamentar Evangélica em um plenário da Câmara e, de joelhos, pediu que haja um “avivamento” no Executivo, no Legislativo e no Judiciário.

O termo avivamento é usado por religiosos para se referir a um processo de “despertar” e renovação espiritual. Sob gritos de “Aleluia” e “Glória a Deus!”, Michelle chorou e pediu que Deus interceda para “curar” a Nação.

A oração da primeira-dama foi feita em um momento de confronto entre Bolsonaro e o Supremo Tribunal Federal (STF) após o indulto concedido por ele ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado a 8 anos e 9 meses de prisão por incentivar atos contra a democracia.

“Pai, estenda suas mãos para a nossa amada Nação. (…) Nós cremos numa geração santa, curada e restaurada pelo sangue de Jesus”, disse Michelle no culto com pregação do pastor Josué Valandro, da Igreja Batista Atitude, que ela frequenta.

A estratégia traçada pelo núcleo da campanha bolsonarista prevê a presença de Michelle em cerimônias do governo e também em viagens, participando de atos com evangélicos. Embora tenha apresentado crescimento nas pesquisas de intenção de voto, Bolsonaro ainda enfrenta forte resistência no eleitorado feminino. Na disputa de 2018, mulheres chegaram a criar o movimento “Ele não”, que começa a se repetir agora.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

Rússia diz que não há acordo para encontro do papa com Vladimir Putin
OAB questiona decretos de Bolsonaro que atingem a Zona Franca de Manaus
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News