Terça-feira, 05 de Julho de 2022

Home Porto Alegre Nova operação no Centro de Porto Alegre resulta em captura de 20 escorpiões amarelos

Compartilhe esta notícia:

A EFA (Equipe de Fiscalização Ambiental) da SMS (Secretaria Municipal de Saúde) realizou uma operação, no Centro da Capital, na noite de terça-feira (21). Vinte 20 escorpiões amarelos vivos e um morto foram capturados.

Em função da chuva, a ação foi iniciada no prédio do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na rua Senhor dos Passos, onde o escorpião morto foi capturado.

Na sequência, a equipe se dirigiu à Praça Dom Feliciano, nas proximidades da rua dos Andradas, onde caixas de telefonia foram abertas, sendo capturados outros 20 animais vivos. Participaram do trabalho seis servidores da EFA, incluindo quatro agentes de combate a endemias.

A região do Centro Histórico registra a maior ocorrência de visualizações do escorpião amarelo. O número de animais coletados na noite de terça é considerado expressivo pela diretora da Vigilância em Saúde de Porto Alegre, Fernanda Fernandes.

“Neste ano, houve um acidente no Centro Histórico e, a partir de 95 notificações ao serviço 156, foram realizadas 190 coletas de escorpião amarelo, no Centro, Mário Quintana, Passo D’Areia e Menino Deus”, explica Fernanda. Em 2021, foram 169 coletas realizadas a partir de 98 notificações ao serviço 156, com maior ocorrência no Centro Histórico, seguido do bairro Anchieta.

Contato

Em caso de visualização, a recomendação é fazer contato pelo serviço 156 (telefone, APP 156+POA. É importante que o requerente informe o local exato da ocorrência e meio de contato.

Diante da suspeita ou confirmação do acidente (quando uma pessoa é picada pelo escorpião), a recomendação é levar a vítima ao Hospital de Pronto Socorro, único local da cidade com o soro antiescorpiônico.

O escorpião amarelo tem veneno altamente tóxico, capaz de levar a óbito a vítima – especialmente crianças, pessoas idosas ou com comorbidades – em poucas horas. A picada é dolorosa, provoca dor intensa no local afetado, e o veneno se dispersa por todo o corpo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

Mais de 366 mil pessoas já foram vacinadas contra a gripe em Porto Alegre
Quatro em cada dez LGBTQIAP+ diz ter sofrido discriminação no trabalho
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Madrugada