Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2022

Home Cláudio Humberto ‘Orçamento secreto’ é herança da gestão Maia

Compartilhe esta notícia:

As emendas de relator aparecem no centro do debate sobre votação da PEC dos Precatórios como uma moeda de troca utilizada para garantir votos favoráveis. O “orçamento secreto” foi criado recentemente, quando Rodrigo Maia presidia a Câmara e nutria sonho de ser “premier”. Em tempo recorde, ele aprovou a PEC do Orçamento Impositivo e conseguiu aprisionar o orçamento federal e limitar ainda mais ações do Executivo.

Ideologia não resistiu
Quando se fala de dinheiro, ideologia fica de lado e Maia aprovou a PEC em dois turnos, em duas horas, mantendo o “sigilo”, hoje tão contestado.

Abuse e use
O STF tem sido usado para moderar a atuação dos demais poderes. E é nisso que Maia apostou ao mover ação contra a PEC dos precatórios.

Confusão
Maia sabe não haver afronta ao regimento no voto remoto, que foi usado para votar inúmeros projetos na pandemia, inclusive outras PECs.

Precedentes de sobra
Fundeb, Auxílio Emergencial, proteção de dados pessoais, entre outros assuntos, foram tema de PECs votadas remotamente, sem contestação.

Bolsonaro no PL definirá candidatos nos Estados
O presidente Jair Bolsonaro decidiu se filiar ao Partido Liberal (PL) por haver recebido do seu presidente, ex-deputado Valdemar Costa Neto, uma proposta que atende sua preocupação prioritária de definir os candidatos nos Estados, inclusive aos governos estaduais, salvo uma ou outra exceção. De acordo com a proposta, Bolsonaro poderá indicar candidatos que lhe pareçam úteis ao projeto de reeleição ao Planalto.

PP não ‘cobriu’
O partido Progressistas (PP) não “cobriu” a proposta, por essa razão o presidente decidiu que vai se filiar ao PL.

Quem vai dirigir
Não ficou claro o espaço formal que Costa Neto vai reservar a Bolsonaro, na ocupação dos cargos de direção partidária.

Poder total
Costa Neto é conhecido por exigir dos presidentes estaduais dos partidos que preside procurações que dão a ele poder total sobre suas decisões.

Demorou demais
Enquanto países como Chile e Costa Rica se recusavam a reconhecer a reeleição fraudulenta do inqualificável Daniel Ortega, ditador da Nicarágua, o Itamaraty se manteve boquiaberto, na base do “ora, veja”.

Vergonha alheia
Após a explicação de que pedidos de demissão em massa no Inep, às vésperas do Enem, não têm motivação “ideológica”, das duas uma: é lorota ou pouco caso com estudantes e descaso com educação.

Pode ser decisivo
Líder do governo, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) disse esperar ao menos mil prefeitos em Brasília para dar apoio à aprovação da PEC dos Precatórios e viabilizar o Auxílio Brasil para milhões de necessitados.

Sinuca de bico
Os eventos culturais estão numa sinuca de bico com a decisão do secretário Mário Frias de vedar “passaporte da vacina” em projetos financiados pela Lei Rouanet. Afinal, o incentivo não é um “direito” e sim um benefício sujeito a regras fixadas pela Secretaria de Cultura.

Bolsonaro nas arábias
O presidente Jair Bolsonaro fará uma série de visitas a países árabes. Começará no sábado (13) nos Emirados Árabes Unidos, depois seguirá para o Reino do Bahrein e finalmente no Catar, entre os dias 17 e 18.

Privatiza já
A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado retoma nesta terça (9), após 15 dias, a análise do projeto de lei que permite a privatização dos Correios. O projeto, já aprovado na Câmara, não sofreu alterações.

Terror dos coronalovers
A notícia de 24h sem registro de mortes por covid-19 no Estado de São Paulo veio na sequência das 59 registradas em todo no país, domingo, segundo o Conass. Foi o menor número desde março do ano passado.

Sem muro
Completa apenas 32 anos nesta terça-feira (9) a queda do Muro de Berlim, símbolo físico da repressão e do comunismo na Alemanha Oriental que ficou de pé durante 28 anos.

Pensando bem…
…criou-se a teoria jurídica da liberdade plena e total, desde que seja silente.

PODER SEM PUDOR

Susto na campanha
Aloysio Nunes Ferreira era líder do governo na Assembleia e confessou ao governador Orestes Quércia que, sem tempo para campanha, temia ser derrotado para deputado. O pior é que o prefeito de Rio Preto, Manoel Antunes, era seu concorrente na mesma base. Quércia ligou para Antunes: “Soube da sua candidatura, parabéns. Conte comigo!” Aloysio quase tem um infarto. Quércia tentou acalmá-lo: “Tenho algo melhor para você.” De fato, ele foi eleito vice-governador na chapa de Luiz Antônio Fleury Filho.
___
Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

O retorno da Revolta da Vacina
Lula quer PSB de vice
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde