Terça-feira, 24 de Maio de 2022

Home em foco Pesquisas comprovam importância da vacinação de grávidas contra covid para proteção dos bebês

Compartilhe esta notícia:

Os médicos têm uma recomendação importante para as mulheres grávidas: pesquisas comprovaram a importância da vacinação de gestantes para proteger os bebês contra a covid.

“Toda mãe deseja que seu filho nasça com saúde, que nasça bem”, diz a analista de RH Claudia Sedlmaier.

Para criar um ambiente mais seguro durante a gestação, Claudia trabalha em casa. Ela já tomou as duas doses da vacina contra covid mais o reforço. Assim espera proteger também o Mateus, que vai nascer em algumas semanas.

“Eu me sinto uma supermãe, com poder de, sei lá, salvar meu filho ou de pelo menos dar a ele uma imunidade através de mim. E eu me sinto completamente emocionada”, afirma Claudia.

A ciência tem chegado a resultados animadores quando analisa a passagem de anticorpos de mãe para filho. Um estudo recente, publicado na revista científica americana Jama, mostra que bebês de seis meses, nascidos de mães vacinadas contra a Covid na gestação, tem mais anticorpos do que bebês que nasceram de mães não vacinadas e que tiveram Covid durante a gravidez. A pesquisa avaliou bebês de mulheres que tomaram duas doses de vacinas com a tecnologia de RNA mensageiro, como a da Pfizer.

Por enquanto, as vacinas não são para bebês. E para proteger os recém-nascidos, as mães precisam se vacinar. Assim elas podem passar os anticorpos para eles ainda no ventre ou depois, durante a amamentação. É o que mostra um outro estudo, desenvolvido pelo Instituto da Criança, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

No fim de 2021, a pesquisa comprovou a presença de anticorpos no leite de mulheres que tomaram a primeira dose de CoronaVac. Depois da segunda dose, o nível de anticorpos cresceu e foi detectado até pelo menos quatro meses.

Agora um estudo complementar analisa também os anticorpos transmitidos pela placenta.

“Com seis meses, a quantidade de anticorpos no sangue dos bebês era muito maior nos bebês de mães vacinadas do que nos bebês de mães que tinham tido Covid, era sete vezes maior”, afirma Valdenise Tuma Calil, médica chefe do Centro Neonatal do Instituto da Criança e do Adolescente do HC.

Márcia Morikawa é uma das voluntárias do estudo. Foi mãe com o esquema vacinal completo. Emi nasceu saudável e não foram só os olhinhos puxados que a bebê herdou da mamãe.

“A gente teve contato com pessoas que estavam contaminadas pela ômicron e em casa ninguém teve nenhum sintoma. Fiquei até bastante aliviada. E acredito que, sim, sejam os anticorpos que estou passando para ela ao longo do caminho”, diz Márcia.

No Brasil, apenas a CoronaVac e a Pfizer são indicadas para gestantes e mulheres que deram à luz recentemente. E elas têm mostrado que são eficientes.

“Realmente a vacina é muito importante para a mãe e para a criança para que esses bebês cresçam saudáveis e num eventual contato com familiares com covid eles estejam protegidos”, afirma Valdenise.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de em foco

“Me deixa, por favor!”, disse brasileira antes de ser morta pelo pai dos próprios filhos na Argentina
Divisões internas no partido União Brasil dificultam projeto único para a eleição presidencial
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Na Tarde