Terça-feira, 16 de Agosto de 2022

Home Cláudio Humberto Prazo se esgota e PGR não denuncia Alcolumbre

Compartilhe esta notícia:

A notícia-crime apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) para denunciar o caso das rachadinhas do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR) em 5 de novembro pelo relator da ação, ministro Luís Roberto Barroso. O Regimento Interno do STF fixa prazo de 15 dias para a PGR se pronunciar sobre a abertura de inquérito contra o político, acusado de embolsar mais de 90% dos salários de 6 assessoras do seu gabinete.

Duas semanas
O artigo 231 do regimento determina 15 dias para a decisão da PGR, mas esse prazo pode ser interrompido ou estendido.

‘Prazo impróprio’
A PGR considera o prazo “impróprio” e diz que o procurador-geral Augusto Aras até já tratou do tema com o presidente do STF, por ofício.

Caso é criminal
A PGR informa que o caso está sob análise e explica que “para atos de investigação criminal, não há prazo definido para o MP atuar”.

Outra briga
Alcolumbre é acusado de recrutar 6 mulheres pobres, na periferia de Brasília, que aceitassem receber apenas 10% do salário de R$14 mil.

Congresso, quem diria, vai trabalhar no feriado
Político tem fama de trabalhar pouco e ganhar muito, de especialista no em escapar do batente, mas, curiosamente, nesta terça-feira (30), Dia do Evangélico, feriado em Brasília, todos estão convocados para bater o ponto e justificar a montanha de dinheiro que custam ao Pais. No Senado, está finalmente prevista a votação da PEC dos Precatórios e sua Comissão de Constituição de Justiça promete até fazer sabatinas.

Câmara está on
Esta terça-feira deve ser movimentada na Câmara. Há dezenas de requerimentos previstos até para o plenário Casa.

Hora extra
O funcionamento no Congresso terá o custo do pagamento da hora extra aos servidores convocados para assessorar parlamentares.

Desrespeito ao CNJ
Indicados para 7 vagas no Conselho Nacional de Justiça, que tem 15 membros, estão também à espera de que Alcolumbre resolva trabalhar.

Chumbo trocado
A Câmara derrotou projeto enviado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para aumentar os salários no Judiciário, em clara resposta às frequentes interferências dos ministros em suas decisões. A Comissão de Finanças decidiu pela “inadequação orçamentária” da proposta.

Proteção da vacinação
Por mais uma semana, o Brasil segue fora da lista dos 100 países com mais casos e Covid por habitante. O Worldometer aponta no Brasil 296 casospor milhão contra 841 no Chile e 1.248 nos Estados Unidos.

Caminho das pedras
As redes sociais já repararam que após o STF transferir para a Justiça Eleitoral os crimes de Caixa 2, incluindo corrupção e lavagem de dinheiro, nunca mais se teve notícia de condenação de políticos.

O Brasil no 5G
A tecnologia 5G no Brasil, cujo primeiro leilão já arrecadou R$47 bilhões, será tema de audiência pública nesta quarta (1º), na Câmara. O ministro Fabio Faria (Comunicações) deve participar.

Servidor nas contas
O governador Ibaneis Rocha indicará o secretário de Economia, André Clemente, à vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do DF. A escolha tem sido muito elogiada. Clemente é servidor de carreira.

Não estão nem aí
A Petrobras fez o que se esperava: reduziu em apenas alguns centavos o preço da gasolina, apesar da queda de 11% no mercado internacional. Afinal, a prioridade da estatal é o lucro.

Nada suspeito
A China suspendeu o envio da localização de navios em sua costa ao sistema automático mundial, que ajuda a evitar colisões e auxilia missões de busca e salvamento. Os chineses são os únicos no mundo a alegar questões de segurança para suspender o compartilhamento.

Pedro I
Há apenas 199 anos, Dom Pedro I era coroado Imperador do Brasil, após declarar a independência, antes de virar, por alguns meses, Rei de Portugal. Caso único na História.

Pensando bem…
… enquanto faz fumaça com a sabatina de André Mendonça, Davi Alcolumbre evita explicar a “rachadinha” milionária em seu gabinete.

PODER SEM PUDOR

Todo cuidado é pouco
Costa Rego fez fama como jornalista no Rio de Janeiro e, na década de 1920, voltou para Alagoas, sua terra natal, para se eleger governador. Fez um governo austero, mas, incorrigível mulherengo, enfrentou problemas. Seu secretário da Fazenda era Epaminondas Gracindo, avô do ator Gracindo Júnior. Certo dia, ele tomava o café da manhã e viu Costa Rego abrindo a porta de sua casa e ir entrando com a maior naturalidade. “Espere aí, governador!”, gritou Epaminondas em tom amistoso, “com essa sua fama de garanhão, o senhor não pode entrar na casa de uma família de respeito.” Governador e secretário despacharam na calçada.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Fatos históricos do dia 30 de novembro
Jair Bolsonaro assina ficha no PL e faz uma exigência: “Não pode ter aliança com a esquerda”
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News