Quinta-feira, 26 de Maio de 2022

Home Ciência Primeira missão lunar russa em 45 anos pode ser lançada em julho

Compartilhe esta notícia:

A agência espacial russa Roscosmos quer lançar a sonda Luna 25 à Lua em 23 de julho deste ano, após 45 anos sem enviar nenhuma missão para lá. O objetivo principal dessa missão será explorar a região do polo sul lunar, bem como os recursos naturais disponíveis na superfície, como a água.

Rússia vai levar cargas e astronautas à ISS em menos tempo a partir de 2023
A sonda russa será lançada a bordo do foguete Soyuz a partir do Cosmódromo de Vostochny, na Rússia. O principal destino da Luna 25 será um ponto ao norte da Cratera Boguslavsky, no polo sul da Lua.

A fabricante russa de foguetes, NPO Lavochkin, desenvolveu um módulo de pouso anunciado como uma sonda de desbravamento que testará tecnologias para pousos mais suaves, além de estudos de contato na região.

Pavel Kazmerchuk, designer-chefe da missão, disse que todos os instrumentos científicos já foram instalados na sonda e os testes de engenharia, ainda em andamento, estão previstos para serem finalizados ainda em março. Até abril, será finalizado o software de bordo.

O lançamento da missão foi adiado por conta de problemas em testes anteriores. Dmitry Rogozin, diretor-geral da Roscosmos, disse que a Luna 25 será enviada em algum momento entre 25 de maio a 19 de outubro deste ano, mas tendo o dia 23 de julho como a atual meta.

A sonda Luna 25 foi desenvolvida para explorar a Lua por pelo menos um ano, usando seu conjunto de ferramentas destinados a estudar a superfície lunar e as partículas presentes na fina atmosfera lunar.

Segundo a NPO Lavochkin, a missão tem três metas principais: desenvolver uma tecnologia de pouso suava, estudar a estrutura e recursos naturais como água no polo sul lunar, e analisar os efeitos dos raios cósmicos e radiação na superfície da Lua.

Ao todo, a sonda tem oito instrumentos, incluindo um braço robótico para coleta de regolito lunar, desenvolvido pela Agência Espacial Europeia (ESA), além de uma camada chamada Pilot-D, que testará o sistema de navegação pelo terreno lunar.

A última missão russa enviada para a Lua foi a Luna 24, lançada em 1976 pela então União Soviética. Agora, após mais de quatro décadas, há uma grande expectativa para a Rússia retornar ao solo lunar.

Próximas missões 

Os planos da Rússia não param por aqui. De acordo com a ESA, o orbitador lunar da missão Luna 26 será lançado apenas dois anos após o envio da Luna 25. O orbitador realizará medições científicas da Lua e servirá como um mediador com as próximas missões envolvendo alunissagens (nome dado para pousos na Lua).

Já um ano após o envio da Luna 26, será a vez de a missão Luna 27 — cujo módulo de pouso que será maior que o a Luna 25 — decolar para a Lua. Ao pousar também no polo sul lunar, a Luna 27 implantará a broca Prospect da ESA, em busca de gelo de água ou outros recursos no subsolo.

E a montadora NPO Lavochkin também planeja a missão Luna 28, destinada trazer para a Terra amostras da região sul da Lua, como parte de um esforço de promover futuras viagens para estabelecer uma base lunar. Vale lembrar que, no ano passado, China e Rússia firmaram um acordo para construir uma estação de pesquisa na Lua.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Pular corda traz resultados mais rápidos que corrida
Nasa anuncia duas missões para entender melhor o Sol e sua conexão com o nosso planeta
Deixe seu comentário
Pode te interessar
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa Bom Dia