Quinta-feira, 30 de Maio de 2024

Home Brasil Remédio e vacina para varíola dos macacos têm importação facilitada

Compartilhe esta notícia:

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu por unanimidade que vacinas e medicamentos destinados a conter e tratar o surto da varíola dos macacos (monkeypox) não precisarão do registro de importação prévio para entrar no País. A medida foi aprovada em caráter excepcional e temporário.

Apesar da dispensa do registro, as vacinas e os medicamentos ainda precisarão ter “todos os locais de fabricação, incluindo linhas e formas farmacêuticas”, aprovados por autoridades reguladoras integrantes do Esquema de Cooperação em Inspeção Farmacêutica (PIC/S).

A Anvisa também estabeleceu o prazo máximo de sete dias para análise de novos medicamentos e vacinas destinados ao surto da varíola dos macacos. Esse “rito simplificado” segue o modelo estabelecido pelo consórcio da Covax Facility, a aliança internacional formada para acelerar desenvolvimento, produção, distribuição e importação de vacinas contra a covid-19.

O objetivo da Anvisa é, assim, acelerar o acesso do Brasil aos tratamentos disponíveis e já regulamentados por órgãos de outros países. Até o momento, há apenas uma vacina no mundo indicada contra a varíola dos macacos e ainda sem registro na agência. O Ministério da Saúde espera receber 50 mil doses do imunizante pela Opas, braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a América Latina ainda no próximo mês e distribuí-las a grupos prioritários, incluindo os profissionais da saúde.

Remédio

O mesmo acontece com o tecovirimat, o único fármaco utilizado no tratamento da varíola dos macacos. Ele não tem registro aprovado no País, mas já foi indicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e pela Food and Drug Administration (FDA), órgãos regulatórios dos Estados Unidos.

“É importante deixar claro que a Anvisa está exercendo seu papel de agência reguladora. A dispensa de registro é um ato regulatório. E esse ato não significa a aprovação tácita do que vier. Diante de mais um desafio, estamos utilizando uma ferramenta que faz parte do exercício pleno de nossa função”, disse o diretor-presidente da agência, Antonio Barra Torres.

Lista

Para a dispensa de registro, a Anvisa vai considerar as aprovações de medicamentos ou vacinas das seguintes autoridades internacionais: Organização Mundial da Saúde (OMS); Agência Europeia de Medicamentos (EMA); Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA/EUA); Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido (MHRA/UK); Agência de Produtos Farmacêuticos e Equipamentos Médicos/ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar do Japão (PMDA/MHLW/JP); Agência Reguladora do Canadá (Health Canada).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Ex-mulher entra com ação na Justiça Eleitoral para impedir o presidente da Câmara, Arhur Lira, de se candidatar
Lula só confirmou presença em posse no Tribunal Superior Eleitoral após ser avisado que não estava prevista fala de Bolsonaro
Deixe seu comentário
Baixe o app da RÁDIO Pampa App Store Google Play

No Ar: Pampa News